Geleia de Morango

Coisa mais estranha essa… As regras gramaticais mudaram e algumas palavras perderam acento, Geleia, entre elas! Mas vamos lá!
O morango é uma fruta atípica, pois suas “sementes”, além de ficarem do lado de fora, não são sementes mesmo, são aquênios, microfrutas secas, como as sementes de girassol ou trigo sarraceno.
Os morangos são resistentes e adaptáveis, pois crescem da mesma forma na Finlândia ou no nordeste brasileiro, porém foram domesticados há 300 anos na Europa, inclusive as espécies americanas (maiores). Normalmente aquela que comemos é um cruzamento entre espécies originárias dos EUA e do Chile, denominada Fragaria x ananassa, o “x” por ser um cruzamento (entre a F. Virginiana e F. Chilonesis) e “ananassa” pelas notas de sabor e aroma que lembram abacaxí.
Em inglês, chamamos essa fruta de Strawberry, a palavra Berry vem de uma raiz que significa “brilhar” e Straw, que significa palha, vem da origem da palavra “espalhar”, como o morango tem o hábito de nascer se espalhando pelo campo, virou “Strawberry”. (E sim, eu copiei isso de um livro!)
Mesmo com essa história toda, infelizmente o brasileiro (e provavelmente a maior parte do mundo) come montanhas de agrotóxico em seus moranguinhos lindos, que também na maioria das vezes é azedo ao extremo.
Há alguns meses fui à uma produção orgânica de morangos em Colombo (Região Metropolitana de Curitiba), eles eram menores, rubros e mui doces, nunca tinha comido nada igual, pareciam jujubas! Mas para essa receita usei os tradicionais mesmo, cheios de veneno com procedência desconhecida e sem esse dulçor todo.

 Imagem

Ingredientes:
01kg de morangos maduros limpos.
300G de açúcar cristal.
02 limões. (só sumo)

Modo de Preparo:
Limpe os morangos, lavando-os em água corrente, tirando talos, machucados, etc. Deixe de molho em água por meia hora.
Coloque em uma panela (preferência fundo grosso) os morangos, o açúcar e o sumo dos limões, deixe em fogo baixo e mexa o mínimo necessário para manter a forma dos morangos.
Vai criar água e deixe cozinhando até achar que é o melhor ponto, cerca de 40-80min, dependendo do seu gosto, panela, qualidade de morango, lua cheia ou pressão atmosférica.

Dicas:
– Algumas pessoas usam mais ou menos açúcar, remendo nunca passar de 500g para 1kg de morangos. Os diabéticos usam até mesmo adoçante culinário, mas eu desconheço a proporção nesse caso.
– Para ter 01kg de morangos limpos, compre de 1,2kg a 1,5kg, depende da qualidade, já que é exigido um morango maduro, os caras “escondem” bem os machucados nas bandejinhas.
– Pode ser armazenado em pote de conserva esterilizado. Basta ferver os potes por alguns minutos em água abundante, retira-los com uma pinça e deixar secar sobre um pano ou papel. Dura semanas na geladeira.

Published in: Sem categoria on 06/08/2012 at 00:23  Comments (2)  
Tags: , , , , , , , , , ,

Bolo de Cenoura, Beterraba e Mexerica

Acalmem-se! Não virei natureba e nem entrei de dieta, deusmilivri isso!
Estava meio desocupado e resolvi provar algo novo. Sempre achei a cenoura e a beterraba parecidas, sim sim, apesar da cor, formato e sabor, são duas leguminosas que crescem sob a terra, tem uma quantidade de água parecida e a base de seus sabores se assemelham  (Beterraba pouco mais doce, claro), suas textura, além do tempo de cozimento parecido.
Mas e a mexerica? Tenho um segredinho que aprendi com minha chefe, ela usa suco de laranja no bolo de cenoura (ajuda na hora de triturar), eu não tinha laranjas, então usei as mexericas da minha mãe. (Ela vai me matar quando descobrir!)

Mas o problema é: eu quis colocar a beterraba por causa da cor! Se bolo de cenoura é amarelinho lindo, com beterraba iria ficar vermelhão ou no mínimo, muito alaranjado. Mas a química tinha uma surpresa e o bolo fico… VERDE! Nem era um verde bonito, era um verde sem vida. (Se alguém souber explicar porquê isso aconteceu, fico grato!)

E o sabor? Esse sim, ficou excelente! A mexerica aromatizou muito, a beterraba deu um toque leguminoso-terroso no retrogosto, a mesma sensação que um bom bolo de cenoura traz, porém mais acentuado.
Valeu a pena testar essa receitinha maluca, farei mais vezes!

Ingredientes:
02 ½ xíc farinha trigo
02 xic açúcar
½ xic óleo (canola)
04 ovos (separar clara e gema)
01 colher fermento químico.
01 cenoura média-grande.
01 beterraba média-grande
03 mexerica (só o suco, claro!)

Modo de Preparo:
Bata no liquidificador a cenoura, beterraba, suco das mexericas, gema dos ovos e o óleo. Bata na batedeira essa “vitamina” com a farinha, fermento e açúcar, por último adicione as claras em neve. Coloque em uma fôrma untada (margarina e farinha) ou fôrminhas de cupcakes e leve ao forno médio até ficar bem escuro por cima. (Cerca de 30min).

Dicas:
– Faça um bolo baixo ou vários pequenos, ou os dois. (eu fiz os dois e o bolão ficou mais gostoso que esses pequeninos da foto, hehehehe)
– Pode usar uma cobertura de chocolate como o de cenoura, eu não tinha chocolate para derreter e usei essas bolinhas que quebram um bom galho.
– No bolão eu untei a fôrma com margarina e açúcar, ficou muito bom!

Macarrão Alho e Óleo

Sinceramente? Um dos pratos mais geniais que já inventaram! É barato, prático, gostoso, rústico e graças a Zeus, não é nada saudável! Pra mim tem cara de churrascaria da beira de estrada, casa da vovó ou vida de solteiro, claro, tudo nos anos 80!

Até o nome é perfeito, pois brinca com o famoso molho provençal chamado “Aioli”, que é uma espécie de maionese carregadona no alho.

Se você é vagabundo preguiçoso ocupado demais para gastar mais de 20 minutos cozinhando, tá aí uma boa opção. É uma comida que você pode aproveitar até o macarrão gelado da semana passada do almoço! É algo tão rústico, que coloquei até uma cebolinha mais grosseira que cano de passar bosta, parede de igreja, calcanhar de pedreiro, alho poró sujo da feira!

Ingredientes:

200g de macarrão spaghetti ou Spaghettini.

04 dentes de alho grandões (ou 06 médios)

1/3 do maço de salsinha.

¼ do maço de cebolinha.

20ml de azeite.

20ml de óleo comum.

Sal e pimenta do reino.

Modo de preparo:

Cozinhe o macarrão em água abundante (1,5l aprox), salgada (2 colheres de sal) e borbulhante. Assim que botar a massa para escorrer, frite o alho até dourar, adicione a salsa, cebolinha e o macarrão (já escorrido) e vá misturando e corrigindo o sal-pimenta se necessário. E tá pronto, mais simples que isso, só miojo!

Dicas:

-Não seja tão mão-de-vaca pão-duro muquirana unha-de-fome Julius econômico, compre macarrão di grano duro

-Como a água do macarrão já é salgada, dificilmente você precisará corrigir o sal, principalmente se adicionar a massa ainda levemente molhada (o ideal).

-O macarrão deve estar al dente pra meio durinho, já que terminará de cozinhar com os outros ingredientes na frigideira.

-O alho deve ser colocado sobre o óleo ainda frio, aos poucos ele vai fritando e quando os pedacinhos menores ficarem marrons (mesmo que os maiores ainda estejam brancos e apenas com as bordas tostadas), adicione os outros ingredientes.

-Usei meio a meio no óleo porque apenas 1 deles fica caro demais. Juliuslifestyle.

-Esse prato rende para duas pessoas “normais”. (3 porções dessas da foto)

-Apenas dê um “susto” no macarrão, não precisa fritá-lo.

-Algumas pessoas colocam outras coisas misturadas, mas eu prefiro o tradicional mesmo. No máximo colocaria uma dedo de moça sem sementes e beeem picadinha.

-Se for usar macarrão de geladeira, dê uma escaldada com água quente, além de tirar o “gelado”, ele ficará mais soltinho. Nesse caso, preste atenção ao sal, que provavelmente faltará.