Pudim de Leite

Leitores queridos. Como vão as senhoras e senhores nesse lindo 2011?
Estou ansioso, pois: traçando o plano de negócios da empresa (segredo ainda), esperando o resultado de uma prova (para ser professor de gastronomia do SENAC) e indo viajar daqui uma semana para Recife, onde tirarei fotos e postarei no blog. A coisa mais engraçada do mundo é voltar para sua cidade como turista!
A receita que vou postar é vergonhosa de tão simples! Espero compensa-los na próxima postagem, pois já postei coisas muito parecidas aqui, como o flan ou o pudim de café, ambos com receitas quase iguais.
Como sabemos, o pudim de leite talvez seja um dos doces mais comuns no Brasil e provavelmente no Mundo!(sob outras versões e nomes)
Leite, ovos e açúcar sempre foram a base da confeitaria, principalmente a portuguesa e brasileira. Mas esse pudim como o  conhecemos, usando o leite condensado em lata, surgiu no Brasil no fim do Séc. XIX, com a importação de latas de leite condensado de uma fábrica suíça (Nestlé) com o desenho de uma bela moça no rótulo. Como se tratava de uma novidade tecnológica (leite enlatado), logo o doce foi apelidado de “Pudim Republicano”, pois aconteciam essas mudanças políticas naquela época.
O resto da história nós conhecemos, uns gostam dele furadinho e outros mais maciço, uns gostam da calda mais queimadinha e amarga e outros praticamente sem calda… o importante pra mim é comer essa delícia em alguma tarde preguiçosa, depois de uma refeição leve e ouvindo uma música gostosa. Por isso vou testar uma nova coisa no blog, indicar músicas que harmonizem com a comida! Claro, música tem muito mais a ver com seus gostos e seu estado de espírito, do que ficar “casando” com o doce ou salgado dos pratos, mas não custa juntar duas coisas maravilhosas como a música e a gastronomia! Coisa de gente mais fresca, gay, desocupada, idiota, sensível mesmo.
A foto ficou meio diferente, pois as luzes desse apartamento são péssimas e me obriguei a fotografar da varanda!

Ingredientes:
– 01 lata de leite condensado (usei Nestlé)
– 01 e 1/2 lata de leite integral (usar a lata do leite cond. como medida)
– 03 ovos (peneirados)
– 01 micro-mini-little raspinha de limão (opcional)
– 1/2 xícara de açúcar (para calda)

Modo de Preparo:
Coloque todos os ingredientes no liquidificador (menos o açúcar da calda) e deixe batendo. Enquanto isso, faça a calda na própria fôrma furada do pudim, fogo baixo e sempre mexendo. Após a calda pronta, deixe esfriar por 30s a 1min, coloque a mistura que estava batendo no liquidificador por cima. Tampe e coloque em banho maria (forno baixo pré-aquecido, 180°C) por 1 hora e meia.

Dicas:
– A raspa de limão é opcional, ela não dará sabor, mas tende a diminuir o cheiro-gosto de ovo que pode ficar no pudim.
– Peneirar as gemas do ovo ajuda a evitar o tal gosto indesejado (sinceramente, nunca senti, mas algumas pessoas reclamam)
– Se bater bem no liquidificador (uns 3-6min), ficará mais furadinho. Se quer ele mais maciço, bata só o bastante para misturar os ingredientes.
– Quando for fazer a calda, cuidado para não se queimar. Use uma luva especial para segurar a fôrma e ela não virar, cuidado ao ponto, nao deixe ferver-queimar e nem com pedras de açúcar.
– Esse tempinho para “esfriar” o açúcar é muito delicado, pois se passar disso vira uma bala por esfriar demais e se for antes, o caramelo mistura ao pudim, ele fica escuro e sem contraste.
– Uma dica para desenformar, é além de passar uma faca nas bordas, colocar um pano úmido quente no fundo da fôrma antes de vira-la.

Música:
Não sei se vocês vão gostar, eu também acho a música “açucarada” demais e a cantora polêmica (alguns amam e outros odeiam), mas acho que com pudim combina:

Mallu Magalhães – Tchubaruba
Download: http://www.4shared.com/audio/P63IVWEl/Mallu_Magalhes_-_Tchubaruba.htm
Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=f0_lDCMHjsM

Pudim de Tapioca

Sim, joguem paus e pedras, abandonei vocês! Mas meus planos estão caminhando, com obstáculos, buracos, paus e pedras (aqueles que vocês podem jogar em mim!), mas indo e se definindo.
Andei numa vibe meio tapioca, aprendendo a fazer essa iguaria com as senhoras de Olinda, descobrindo sua história e utilidades, por isso trago a vocês uma receita muito simples e gostosa, o pudim de tapioca!(Também conhecido como bolo de tapioca em algumas regiões)

Ingredientes:
500g de farinha de tapioca*
01 litro de leite de coco.
300ml de leite integral.
02 xícaras de açúcar.
100g de coco ralado em flocos. (50% na receita e 50% para finalizar)
01 pitadinha mínima de cravo em pó.
01 lata de leite condensado. (para finalizar)

Modo de Preparo:
Coloque o leite de coco e o leite de vaca para ferver em uma panela grande, quando começar a ferver, adicione o açúcar, o cravo e metade do coco, mexa até dissolver e adicione a farinha. Abaixe o fogo e vá mexendo, a mistura engrossará gradualmente, vá provando e quando os grãos duros sumirem, desligue o fogo e coloque essa massa em uma fôrma de pudim (aquela furada) untada com um pouquinho de óleo (para facilitar na hora de desenformar). Deixe descansar por umas 2 horas e coloque na geladeira. Após desenformar (depois de gelado, geralmente no outro dia), derrame uma lata de leite condensado por cima, enfeite com o restante do coco ralado.

Dicas:
– *Farinha de Tapioca: Não me refiro à goma, me refiro a uma farinha dura e de granulação grossa, vendida em saquinhos de 500g. Nesse caso comprei da Yoki, com o nome comercial de “TAPIOCA” apenas.
– Usei coco ralado queimado, para dar uma cor ao pudim.
– Cuidado com a pitada de cravo, ela é mínima mesmo! Se não tiver em pó, coloque umas 05 florzinhas de cravo enquanto o leite ferve, mas tire antes de colocar a farinha (morder cravos não é legal). Acho esse detalhe importante, porque diferencia sua receita e dá um sabor daqueles beijinhos de festa.
– É uma receita muito simples e fácil. Mas é cansativo mexer a mistura quente e pesada por uns 15 minutos. Às vezes parece que os grãos da farinha nunca ficarão moles e a receita desandou, relaxe que dá tudo certo!
– Para untar a fôrma onde descansará o pudim, usei uma colher de sopa de óleo e espalhei utilizando meia folha de papel-toalha. Sem isso, o seu pudim pode grudar na hora de desenformar.

Pudim de café.

Olá pessoas!

Por favor, me desculpem por esse sumiço! Passei por uma fase conturbada de minha vida, me demiti da empresa da família, fiz vários cursos no SEBRAE e há quase duas semana me tornei o mais jovem gerente da lanchonete Bob´s. Isso tudo em quarenta dias! Hahahahahaha!

É a vida, sempre tomando rumos inesperados. Essa hora tinha que chegar e eu precisava MUITO bater minhas asas fora do ninho. Agora saio de casa às 7:20 e volto às 17:00, todos os dias, menos terça e quinta, quando tenho inglês e chego só às 21:00. É todo santo dia, porque em minha folga vou para a pós-graduação no mesmo horário(8:00-18:00). Enfim, estou esgotado fisicamente e mentalmente, mas estou feliz, quem quer ficar rico precisa suar sangue e comer muita grama para aprender a ser alguém!

A receita que postarei é um clássico personalizado. Pudim de café. Gosto de pudim e amo café, por que não juntar os dois? Fez muito sucesso na turma da pós graduação e aqui em casa voou rapidex. Não fica um sabor notável do café, ele apenas acentua as notas amargas da sobremesa, é excelente por deixar o pudim menos enjoado e com um toque diferenciado

Ingredientes:

-03 ovos.

-01 lata de leite condensado.

-01 lata de leite integral (use a mesma lata do leite condensado).

-01 xícara de café bem forte (cerca de meia lata do leite condensado).

-½ xícara de açúcar. (p/ calda)

Modo de Preparo:

Bata tudo no liquidificador, menos o açúcar.

Para a calda, derreta o açúcar e faça um caramelo, despeje no fundo da fôrma furada de pudim. Adicione a mistura batida, cubra com papel metálico e coloque para assar em banho-maria (forno baixo 180°-200°C pré-aquecido). Aproximadamente 01h depois fica pronto! Espere uns 40 minutos, até esfriar e desenforme.

Chandelle

Tudo começou com uma surpresa que se transformou em um erro, que se transfigurou em chandelle!

Minha amiga Adriely me deu um potinho com brigadeirão dentro. Eu só pude comer um pouco, porque ele “sumiu” misteriosamente. Fiquei com aquele gostinho de quero mais e pensei “poxa, eu posso fazer meu próprio brigadeirão!”.  Bolei uma receita que levasse doce de leite e chocolate, uma espécie de pudim super magnífico diferente, que dominasse o mundo e esmagasse civilizações, me dando poder de governar o planeta!!! agradasse à todos.

Fui ao mercado, mas não tinha doce de leite mole! Contrariado, mas com as lombrigas se rebelando muito desejo, comprei um Moça Fiesta (aquela lata de brigadeiro pronto). Chegando em casa fiz aquela bruxaria receita básica de pudim, mas em vez do leite condensado, usei o brigadeiro enlatado e ainda adicionei chocolate em pó e maisena. Pois é, meus caros leitores, não deu certo, ficou muito diferente do que eu imaginava, não desenformou, um desgosto. Levei para o escritório no outro dia e deixei na geladeira, quem sabe alguém passa aqui e come?  Meia hora depois uma das meninas colocou a cara na porta e disse “pode acabar ou você ainda quer?”. Simmm… ele está vivoooo!!! O brigadeirão que deu errado, virou um 1 kg de chandelle duro! Repensei a receita, mudei alguns ingredientes e batata!!! Temos aqui a receita de Chandelle, igualzinho o comprado no mercado!

chandelle

Ingredientes:

01 lata de brigadeiro moça fiesta. (385g)

01 lata de creme de leite (300g)

½ medida de leite (meia lata do creme, 150ml)

½ xícara de chocolate em pó (não é nescau!)

02 ovos

Modo de Preparo.

Bata tudo no liquidificador, coloque em uma panela e tampe e asse por 40 mintuos  em banho-maria, forno médio pré-aquecido (220°C).

Quando ficar pronto, transfira para um recipiente mais bonito, de louça, espere esfriar e coloque na geladeira. (deixe ao menos 6 horas na geladeira antes de comer)

Dicas:

– Por motivos óbvios, a panela deve ter cabo metálico.

Flã (Flan)

Já viram aqueles potinhos com um tipo de pudinzinho dentro, nos sabores morango e caramelo (não é chocolate!), bem gostoso, com gostinho da infância… Então, aquilo é flã! Uma delícia, sou viciado naquilo, comer bem devagar, ir cavando com uma colherzinha de café até chegar à calda e ela vazar como se fosse lava ou petróleo (sim, eu brincava disso até meus 23 anos quando era criança!).

Descobri recentemente que a receita disso é quase igual às receitas de pudim tradicional! Muito simples, com poucos ingredientes e pouca mão-na-massa.

E claro, eu fiz! E claro, deu certo! E claro, botei no blog! E claro, vocês farão, né?!

A foto está horrível amadora, desculpem, mas quando esfriou  já tinham comido 1/3 e tal… só pude preferi fotografar uma fatia mesmo.

Flã

Ingredientes:

03 ovos.

01 lata de leite condensado.

01 2/3 latas de leite integral (use a mesma lata do leite condensado)

01 colher (chá) rasa de baunilha

01 colher (chá) rasa de amido de milho (maisena)

Um tiquinho minúsculo de raspa de limão.

½ xícara de açúcar. (p/ calda)

Modo de Preparo:

Bata tudo no liquidificador, menos o açúcar.

Para a calda, derreta o açúcar e faça um caramelo, despeje no fundo da fôrma furada de pudim. Adicione a mistura, cubra com papel metálico e coloque para assar em banho-maria (forno baixo 180°-200°C pré-aquecido). Aproximadamente 01h depois fica pronto! Espere uns 20 minutos, até ficar morno e desenforme.

Dicas:

– Quando fizer o caramelo, deixe-o mais escuro, para ficar parecido com o da fábrica (eu fiz marronzinho, mas recomendo-o mais queimado).

– Cuidado para não se queimar, caramelo é muitoooo quente e faz buraquinho na pele.

– Usei 01 2/3 de leite, é a medida exata para dar aquele sabor mais próximo do original, se quiser mais doce, use 01 ½ ou menos doce, use 02 de leite.

– Quando falo em um “tiquinho minúsculo” é um pouco MESMO, se não souber o que é “pouco”, nem use as raspas limão (pode estragar a receita se exagerar).

– Esse banho-maria deve ser fundo, deixando a água quase no nível do flã.

– Para saber se ficou bom, abra o papel alumínio e espete um garfo, se ele sair limpo é porque está no ponto! (só faça isso uns 40 minutos depois que colocou)

– Algumas pessoas não estão entendendo sobre o que se trata, aqui vai uma foto do produto da Nestlé: (mas também existe outras marcas que fabricam, como a Danone)