Spaghetti al Pesto

O molho pesto, em minha opinião, é uma das coisas mais simples do mundo para se fazer na cozinha. Quase um alho e óleo de tão singelo, mas traz um efeito maravilhoso à mesa, pela cor, cheiro e em alguns casos, pela novidade.
Pode-se comer só com macarrão, com uma saladinha de tomates, com tomates refogados ou com alguma carne. Fica difícil saber com o que não combina.
Existem muitas receitas com história na internet, uns falam em macerar (por isso o nome “pesto”) com pilão de pedra, recomendam tipos X ou Y de manjericão, falam em usar pinoles e queijo pecorino misturado ao parmesão, etc. Eu concordo que esses detalhes devem melhorar a receita, geralmente o original é melhor! Mas nem sempre podemos nos dar ao luxo de conseguir (não é nem querer, é poder mesmo!) escolher entre tipos de manjericão, achar queijo pecorino no supermercado, ter um pilão de pedra em casa e outras coisas do tipo.
A receita aqui apresentada é simples demais, dá até vergonha!

Pesto

Ingredientes:
01 Maço Generoso de Manjericão.
01 Dente de Alho.
100g de Parmesão.
01 castanha do pará. (sim, apenas umazinha)
100ml de azeite (quanto necessário para bater)

500g de Spaghettini n3. (ou outro macarrão que preferir).

Modo de Preparo:
Bata todos os ingredientes em um processador ou liquidificador, geralmente deixando o azeite por último, pois ele vai dar o ponto certo. Cuidado para não bater muito e virar uma papa.
Cozinhe o macarrão de acordo com as normas da embalagem, escorra, e coloque em uma panela com um pouco de azeite, basta misturar o quanto baste desse molho e servir. Geralmente essa receita rende para umas 800g de macarrão, se sobrar, guarde para comer com pão ou fazer uma salada caprese no dia seguinte. Essa receita rende comida para umas 5 pessoas normais.

Dicas:
– Algumas pessoas usam menos queijo ou nem usam, também substituem ou complementam com manteiga. Vai do gosto e das necessidades de cada um.
– Usei Castanha do Pará por ser a mais neutra das amêndoas, as nozes e amendoim são fortes e podem dominar o prato.
– O Filé da foto fiz da maneira mais simples: passei óleo, pimenta do reino e sal, coloquei sobre uma frigideira grossa e bem quente, quase fumaçando, deixei tostar de um lado e depois do outro.
– Pode-se fazer pesto com rúcula, agrião ou meio manjericão e meio de alguma dessas folhas.
– Outra coisa deliciosa com o pesto, é fazer um sanduíche quente com muçarela (de vaca ou búfala) e tomate.

Comida Reciclada e Torradas de Brownie.

Quem nunca “reciclou” uma comida? Desde coisas simples como adicionar ingredientes ao miojo, usar sobras do almoço para fazer uma sopa no jantar, pegar os pães velhos e fazer torradas, das torradas fazer farinha de rosca e da farinha, um belo bolo! Assim por diante…

Acho isso tão importante na mesa do brasileiro! Pois além de compor no mínimo uns 10% das nossas refeições, segundo o ITC (Instituto Tadeo de Chutômetro), reciclar e reaproveitar comida de uma forma limpa e engenhosa, exige muita inteligência gastronômica, pois é preciso entender de tudo: proporções, processos químicos e físicos, harmonia, etc.
Vou exibir abaixo algumas dicas:

-Pão: Quando está duro, com 24 a 72 horas em saco de papel, passe rapidamente sob a água da torneira (menos de 1 segundo!), espalhe com as mãos a água sobre toda a superfície do pão e coloque em forno bem quente por uns 3 minutos. Pode parecer estranho molhar o pão, mas é uma “molhadinha de leve”, que atinge apenas a casca. Isso faz com que o vapor renove o pão, caso contrário (colocar o pão sem molhar), ele apenas desidrata e vira uma torrada, principalmente se o forno estiver baixo.

-Arroz: Não adianta colocar no fogo novamente, ele queima, debulha e às vezes nem esquenta uniformemente. Coloque em recipiente semi tampado no micro-ondas com um pouquinho de água ou em uma cuscuzeira. Em último caso, misture com ovo, temperos e farinha de rosca, frite como bolinhos! (existem milhares de receitas na internet)

-Carnes: No caso do boi, porco ou frango, tanto cozido como assado, dá para desfiar, refritar e fazer uma bela farofa no dia seguinte ou até mesmo um arroz “caipira”, que é de comer ajoelhado. Se for cozido, use o caldo para regar a farofa e deixá-la bem úmida e saborosa.

-Tomates: Depois que estragam, jogue fora. Mas caso tenha em excesso (além do que vai consumir), pode pulverizá-los ou fazer um molho e depois congelar. O tomate é uma das poucas verduras que não perde nutrientes quando cozidos, moídos, batidos, espancados, torturados ou processados.

-Bananas, abóbora e outros: Quando temos em excesso, coloque açúcar e manda pra panela, rendem ótimos doces! Alias, doce de abóbora com pouco açúcar e um toque de manjericão é antepasto de restaurante contemporâneo metido chic da Oscar Freire.

-Bolos e brownies: Motivo da criação dessa postagem! Fiz o teste de um brownie branco que não deu muito certo (ficou com gosto de ovo e farinha crua), por isso fracionei e coloquei em forno baixo por 30 minutos, desliguei o forno, virei as fatias e deixei lá no forno quente e desligado(por mais 30min) para desidratar. O mesmo pode ser feito com qualquer bolo, principalmente os mais “gordos”, como bolo de rolo ou outros que tenha muito óleo, manteiga, chocolate ou ovos, tanto quando eles não ficam muito bons (solados, com gosto estranho, desarmoniosos, secos, etc), como quando estão velhinhos. Todas as padarias de Recife fazem isso, o bolo não vende e vira deliciosas torradas! É perfeito com café!

Modéstia a parte, mas ficou tão gostoso que estou pensando seriamente em incluir na gama de produtos da empresa, torradas de chocolate branco e nozes! Seria o sucesso! Espero iniciar as atividades comerciais entre dia 05 e 12 de Maio aproximadamente, vou exibir alguns produtos, gostaria de contar com a participação dos leitores para escolher sabores, detalhes e até ter noção de preço, claro, também aceito receitas, principalmente as regionais, tradicionais ou de família!

Daqui pra frente as receitas tomarão um rumo mais trivial, ficarei um pouco fora dos bolos, biscoitos, salgadinhos e tortas, pois serão minha mercadoria e prefiro não exibir a receita aqui, mas estou engatilhando um vlog de cozinha trivial (só não comecei ainda, por causa de um maldito cartão de memória), ensinando as comidas básicas passo a passo, além de fazer uns pratos diferentes ou exóticos como o sunomono (que já fiz!) e o jap chae, uma espécie de yakisoba coreano delicioso! Acredito sinceramente que o blog melhorará, mesmo sem os tradicionais bolos (mas obviamente vou manter as receitas aqui já expostas), porém chegou a hora de darmos um voo mais alto e tenho certeza que todos sairão ganhando!

Brownie

Continuo nos meus testes para a empresa. Dessa vez fiz brownie! O famoso bolo molhado americano de chocolate e nozes, que pode ser servido em temperatura ambiente ou quente com sorvete. Queria fazer o mais próximo possível do original, tarefa difícil, pois mesmo sendo uma receita simples, existem milhares delas na internet, todas muito diferentes uma das outras. Risquei aquelas com ingredientes toscos, como achocolatado em pó e também aquelas com ingredientes desproporcionais, como 8 ovos! Pesquisei a técnica com o Felipe, que já foi cozinheiro do HooCafé e me lembrei que quando trabalhava lá, os brownies feitos com manteiga davam errado, o correto era usar margarina!

O brownie deve ter doçura suave (chocolate amargo), textura de bolo comum nas bordas e grudento no meio (sim, ele é “meio cru”) e uma casquinha delicada por cima, além disso deve ter algum crocante, de preferência nozes, para dar uma textura mais interessante ao bolo que é úmido e mole.

Ingredientes:

250g de chocolate meio amargo (barra nestlé)

150g (1 ¼ xíc) de farinha de trigo.

180g (1 ¼ xíc) de açúcar.

75g de nozes debulhadas.

50g de margarina sem sal (+20g para untar)

03 ovos

01 colher (café) de fermento químico.

01 colher (café) de essência de baunilha.

MEIA colher (café) de sal.

40cm de papel manteiga.

Fôrma 30X20cm (importante o tamanho)

Preparo:

Passe margarina na fôrma e no papel já ajustado a mesma. Misture os ingredientes secos (farinha, açúcar, nozes, sal e fermento) em uma tigela, bata bem os 3 ovos com a baunilha em outra e faça um tipo de ganash com o chocolate e as 50g margarina. Depois some as 3 porções (secos+ovos+ganash), misture com uma colher e espalhe bem na fôrma empapelada. Forno baixo pré aquecido (160-200°C) por 25-30 minutos.

Dicas:

-Untar apenas com margarina, sem farinha. Ajuste bem o papel nos cantinhos da fôrma.

-O tal “ganash” com chocolate e margarina pode ser feito no micro-ondas, deixe por 1 minuto, misture bem com o garfo, mais 1 minuto, misture novamente e mais 30s. O importante é cada vez mexer bastante, vai ficar escuro e bem espelhado. Espere esfriar um pouco antes de misturar aos outros ingredientes.

-O ponto do brownie é muito importante, ele deve ter uma casquinha crocante por cima e quando você espetar um palito ou garfo, suas pontas sairão meladas. Como já disse, é um bolo diferente daquele que estamos acostumados.

-Não dá para mexer muito nele quente, espere esfriar para cortar e comer. Se você gosta de brownie quente com sorvete, deve pega-lo frio, coloca-lo no micro-ondas e depois colocar o sorvete. Pois ele se desmancha logo que sai do forno.

 

Música

Confesso que faço essa postagem um tanto triste. Ontem uma colega de Recife foi assassinada em uma tentativa de assalto. Apesar dos índices terem melhorado nos últimos 5 ou 6 anos, a capital pernambucana ainda é uma cidade violenta e a vida de muita gente acaba de uma forma inesperada. Quando essas coisas acontecem, pensamos como a nossa vida tem fim sem aviso prévio, muitas vezes prematuramente, como aconteceu com a Nanda aos 26 anos. Por isso vou postar a música que ela tinha no “quem sou eu” do seu perfil no Orkut, uma singela homenagem a quem nos deixou de uma forma tão brusca:
14 Bis – Caçador em Mim.
http://www.youtube.com/watch?v=H8FJLdtE3vo