Farofa de Banana e Bacon.

Tem coisa mais gostosa que farofa salgada-doce de fim de ano?
Sim! Farofa salgada-doce de fim de ano requentada no café da manhã do dia seguinte!
Hahahahahahahahahahaha
Gordofeelings.
A receita que se segue é muito simples, pense numa coisa fácil e boa!
Não precisa esperar o final de ano, faça isso ao menos uma vez por mês e será uma pessoa mais gorda alegre para sempre!

farofa banana bacon
Ingredientes:
200G de bacon.
03 cebolas grandes picadas.
50-100Ml de óleo
01 pimentão vermelho.
50-100G de manteiga
500-750g farinha.
3-5 bananas em rodelas.
½ Maço de cebolinha
Sal e pimenta do reino.
Damasco (opcional)

Modo de Preparo:
Frite bem o bacon, adicione o óleo e as cebolas, deixe caramelizar e então coloque os pimentões e refogue um pouco, coloque a farinha e a manteiga (sal e pimenta). Vá mexendo a farofa até a farinha tostar, esse ponto é delicado, toda atenção é pouca! Após ficar pronto, coloque a banana em rodelas e a cebolinha, tampe e deixe descansar por no mínimo uma hora. Depois servir. 🙂
O damasco fica lindo por cima e muito gostoso também, ferva ele rapidamente em pouca água para fica mole e suculento e deixe-o descansando ali, só colocando POR CIMA da farofa na hora de servir.

Dicas:
– Medidas são todas variáveis, depende das porções, gosto e ingredientes (tipo farinha, a granulagem dela muda tudo!)
– A cebola pode ser picada da forma que quiser, eu cortei em quadrados grandes e grosseiros.
– Não usei alho porque foi servido com um lombo de porco cheio de alhos encravados nele. (qualquer dia coloco a receita)
– Não refogue ou mexa muito a banana, viraria uma inhaca. Esse descanso é justamente para ela “cozinhar” no calor da farofa e acontecer uma troca de sabores. O ideal é deixar umas 3 horas descansando antes de servir e servi-la em temperatura ambiente ou morna.

Anúncios

Bobó de Camarão

Aquele prato que você come agradecendo aos Deuses africanos e só para de comer quando acaba (ou quando está saindo pelo nariz/ouvidos). Originalmente feito com purê de inhame e camarões secos, sofreu adaptações no Brasil e aqui dentro existem muitas versões. Inclusive pesquise cuidadosamente, pois há receitas esdruxulas pela rede, algumas mandam usar dois maços de coentro e outras 3 litros de leite de coco. Nessas horas é bom ter bom senso, principalmente se tratando de temperos ou ingredientes polêmicos. Outro fato que me surpreendeu foi a simplicidade desse prato, muito rápido e simples, menos de 1hora entre abrir a geladeira, picar tudo e cozinhar para 4 pessoas. Se estiver em 4 mãos, desenrola em meia hora!

A receita que segue é pequena, alimenta 2 pessoas insanamente esfomeadas, 03-04 se tiver uma entrada (e sobremesa) ou até 6 se tiver outros acompanhamentos, como um peixinho frito.

Imagem

Ingredientes:
01 cebola grande picadinha.
03 tomates picados. (com casca, pele e tudo, sem frescura)
½ pimentão.
01 naco de mandioca (aprox 300-400g)
500g de camarão limpo.
2 colheres de azeite de dendê.
¼ maço de coentro (só folhas)
sal, pimenta do reino, limão e óleo comum.

Modo de Preparo:
Bote a mandioca descascada para cozinhar (leva aprox 01 hora, precisa apenas ficar mole), após cozida, bata no liquidificador ou processador e reserve (se necessário, coloque a própria água onde ela cozinhou).
Frite a cebola em um fio de óleo, depois que ficarem translúcidas, adicione o coentro, o tomate e o pimentão, cozinhe até ficarem macios, adicione os camarões (temperados com limão, pimenta do reino e sal), salteie por 1 minutinho e adicione o purê de mandioca. Misture, quando começar a borbulhar, adicione o azeite de dendê, mexa mais uma vez e tá lindo!

Dicas:
– Usei apenas cebola porque o melhor acompanhamento para tal prato seria um arroz bem caprichado no alho.
– O leite de coco é opcional e não usei, mas caso use, recomendo diminuir a quantidade de mandioca porque ambos são espessantes, quer dizer, se colocar muito dos dois, vai virar um mousse! (no mau sentido)
– O camarão pode ser pequeno, recomendo o uso daqueles já limpos. Tempere-o 5 minutos antes de usar, porque se salga-lo muito tempo antes, ele fica desidratado e borrachudo. Também não precisa ser cozido exaustivamente, como percebe-se na receita acima, basta sair do estado de cru.
– Pimenta vermelha ou semelhantes coloque em seu próprio prato, caso goste.

Published in: Sem categoria on 02/12/2012 at 18:25  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Escondidinho de Charque

Iguaria típica do nordeste que está ficando cada dia mais comum em outras regiões do País. É um prato simples, relativamente barato e prático. Consiste na união de duas coisas gostosas, 1° Purê de macaxeira e 2° Charque desfiada e acebolada, juntos em camadas e gratinados! Por fora parece uma lasagna, por dentro é um verdadeiro manjar dos deuses!

Recomendo para almoços preguiçosos, vai bem com arroz branco e uma saladinha verde, banana crua ou frita também vai bem.

escondidinho de charque

Ingredientes:

01kg de charque desfiada (carne seca/jabá)

02kg-03kg de macaxeira bem cozida (mandioca/aipim)

04 cebolas médias, fatiadas finas, cortadas de modo longitudinal (tipo da comida chinesa)

03 tomates médios (em cubinhos)

01 copo de requeijão (aprox 200g)

01 maço de cebolinhas cortado bem fino

01 colher generosa de manteiga.

100g de parmesão fresco ralado (ou primadonna vermelho)

Pimenta e sal a gosto.

Preparo:

A carne é deixada de molho na água umas 16 horas antes, troque de água umas 5 vezes no mínimo durante esse tempo.  Cozinhe na panela de pressão por uma hora ou mais (até ficar bem mole). Enquanto isso frite as cebolas em um pouco de óleo, uma folha de louro(mas tire antes de adicionar a carne) e uma pitadinha de pimenta do reino, pode ser em fogo baixo, até ela ir ficando marrom e adocicada. Quando a carne ficar cozida, desfie, adicione os 03 tomates e junte nas cebolas já fritas, refogue por uns 15 minutos.

Enquanto a carne cozinha e as cebolas fritam, faça o purê amassando a macaxeira com um garfo, adicione o copo de requeijão, a cebolinha picada e a manteiga, misture bem.

No refratário coloque uma camada de purê, a charque refogada com cebola, outra camada de purê e o queijo ralado.

Dicas:

– Use charque magra, se comprar ela gorda, tire a gordura depois de cozinhar.

– Não use queijo ralado industrializado, aquilo é horrível, sobra de limpeza das fábricas de laticínio, tem cheiro de vômito e textura de sujeira.

– Fiz uma salada bacana para acompanhar, com alface francesa (roxa), banana, gergelim e um molho básico de shoyu, azeite, mostarda amarela, mel e uma pontinha pimentão ralado (deixei esse molho apurando por 2 horas na geladeira)