Creme de Abóbora

Se existe um blogueiro inútil, este sou eu!
Além de deixar esse lugar semiabandonado desde que virei cozinheiro, ainda posto uma receita de inverno pouco antes de começar o verão!
Parece uma brincadeira de mau gosto, não?
Claro que a maioria das pessoas preferem sopas durante o inverno, principalmente se for uma sopa ou creme gordo, com bons pedaços de carne, legumes pelantes e um caldo cheiroso, encorpado e cheio de sabor e sustança. Mas eu sou daqueles que não dispensa uma sopinha mesmo nos dias quentes, pois é algo leve e aconchegante para se comer à noite, principalmente quando se janta após 22:00.

Aprendi a fazer esse creme com minha chefe, que é servido durante as noites de inverno lá no restaurante, super simples de se fazer e dependendo de onde se arruma a abóbora, fica uma receita muito barata, considerando que alimenta algumas pessoas. Outra coisa boa dessa receita, é que apesar do bacon e do creme de leite, é muito delicado e suave, boa mesmo para consumir 1 ou 2 horas antes de se deitar.

Ingredientes:
– 01 Abóbora Cabotiá.
– 250ml de leite integral.
-350ml de água.
– 100g de bacon picado.
– 02 dentes de alho e/ou meia cebola pequena.
– Meia caixinha de creme de leite (100g)
– Sal e Pimenta do reino q.b.

Modo de Preparo.
Fatie a abóbora em 6 a 8 pedaços, coloque no forno por cerca de 1h a 2h, até ela ficar mole. Bata no liquidificador a “carne” da abóbora, água, leite, sal e pimenta. Em uma panela doure o alho, cebola e depois o bacon, adicione o caldo, deixe ferver por 20min, corrija o sal e finalize com o creme de leite (após desligar o fogo).

Dicas:
-Usei uma abóbora média-pequena para essa sopa, aumente as medidas de acordo com seu bom senso. (Essa servem 4 pratos ou duas pessoas esfomeadas)
– Quando assá-la, deixe a casca para baixo (tipo meia-lua) e o ponto “mole” não é derrentendo, serve apenas para perder aquela dureza.
–  “Carne” da abóbora significa ela sem casca, só isso! 🙂
– A cebola e o alho são opcionais, eu gosto dos dois. O mais importante é deixar o bacon bemmm frito, porque assim a gordura derreterá bem e não ficarão sebinhos horríveis no meio.
– Enquanto o caldo ferve, ele soltará uma espuma fina, retire isso para deixar a sopa mais bonita. (Não sei se isso altera o sabor).
– É muito importante finalizar com o creme de leite. Algumas pessoas usam queijo gorgonzola, mas cuidado com o sal!
– Pode misturar salsinha e cebolinha picadas, também melhor após desligado o fogo.
– Dá para fazer sem bacon, nunca testei, mas deve ficar tão bom quanto. (Os vegetarianos comemoram!)

Harmonização Musical:
Nunca mais tinha colocado músicas aqui, né?
Essa tem tudo a ver com uma boa sopinha de abóbora:

Pudim de Leite

Leitores queridos. Como vão as senhoras e senhores nesse lindo 2011?
Estou ansioso, pois: traçando o plano de negócios da empresa (segredo ainda), esperando o resultado de uma prova (para ser professor de gastronomia do SENAC) e indo viajar daqui uma semana para Recife, onde tirarei fotos e postarei no blog. A coisa mais engraçada do mundo é voltar para sua cidade como turista!
A receita que vou postar é vergonhosa de tão simples! Espero compensa-los na próxima postagem, pois já postei coisas muito parecidas aqui, como o flan ou o pudim de café, ambos com receitas quase iguais.
Como sabemos, o pudim de leite talvez seja um dos doces mais comuns no Brasil e provavelmente no Mundo!(sob outras versões e nomes)
Leite, ovos e açúcar sempre foram a base da confeitaria, principalmente a portuguesa e brasileira. Mas esse pudim como o  conhecemos, usando o leite condensado em lata, surgiu no Brasil no fim do Séc. XIX, com a importação de latas de leite condensado de uma fábrica suíça (Nestlé) com o desenho de uma bela moça no rótulo. Como se tratava de uma novidade tecnológica (leite enlatado), logo o doce foi apelidado de “Pudim Republicano”, pois aconteciam essas mudanças políticas naquela época.
O resto da história nós conhecemos, uns gostam dele furadinho e outros mais maciço, uns gostam da calda mais queimadinha e amarga e outros praticamente sem calda… o importante pra mim é comer essa delícia em alguma tarde preguiçosa, depois de uma refeição leve e ouvindo uma música gostosa. Por isso vou testar uma nova coisa no blog, indicar músicas que harmonizem com a comida! Claro, música tem muito mais a ver com seus gostos e seu estado de espírito, do que ficar “casando” com o doce ou salgado dos pratos, mas não custa juntar duas coisas maravilhosas como a música e a gastronomia! Coisa de gente mais fresca, gay, desocupada, idiota, sensível mesmo.
A foto ficou meio diferente, pois as luzes desse apartamento são péssimas e me obriguei a fotografar da varanda!

Ingredientes:
– 01 lata de leite condensado (usei Nestlé)
– 01 e 1/2 lata de leite integral (usar a lata do leite cond. como medida)
– 03 ovos (peneirados)
– 01 micro-mini-little raspinha de limão (opcional)
– 1/2 xícara de açúcar (para calda)

Modo de Preparo:
Coloque todos os ingredientes no liquidificador (menos o açúcar da calda) e deixe batendo. Enquanto isso, faça a calda na própria fôrma furada do pudim, fogo baixo e sempre mexendo. Após a calda pronta, deixe esfriar por 30s a 1min, coloque a mistura que estava batendo no liquidificador por cima. Tampe e coloque em banho maria (forno baixo pré-aquecido, 180°C) por 1 hora e meia.

Dicas:
– A raspa de limão é opcional, ela não dará sabor, mas tende a diminuir o cheiro-gosto de ovo que pode ficar no pudim.
– Peneirar as gemas do ovo ajuda a evitar o tal gosto indesejado (sinceramente, nunca senti, mas algumas pessoas reclamam)
– Se bater bem no liquidificador (uns 3-6min), ficará mais furadinho. Se quer ele mais maciço, bata só o bastante para misturar os ingredientes.
– Quando for fazer a calda, cuidado para não se queimar. Use uma luva especial para segurar a fôrma e ela não virar, cuidado ao ponto, nao deixe ferver-queimar e nem com pedras de açúcar.
– Esse tempinho para “esfriar” o açúcar é muito delicado, pois se passar disso vira uma bala por esfriar demais e se for antes, o caramelo mistura ao pudim, ele fica escuro e sem contraste.
– Uma dica para desenformar, é além de passar uma faca nas bordas, colocar um pano úmido quente no fundo da fôrma antes de vira-la.

Música:
Não sei se vocês vão gostar, eu também acho a música “açucarada” demais e a cantora polêmica (alguns amam e outros odeiam), mas acho que com pudim combina:

Mallu Magalhães – Tchubaruba
Download: http://www.4shared.com/audio/P63IVWEl/Mallu_Magalhes_-_Tchubaruba.htm
Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=f0_lDCMHjsM

Pudim de Tapioca

Sim, joguem paus e pedras, abandonei vocês! Mas meus planos estão caminhando, com obstáculos, buracos, paus e pedras (aqueles que vocês podem jogar em mim!), mas indo e se definindo.
Andei numa vibe meio tapioca, aprendendo a fazer essa iguaria com as senhoras de Olinda, descobrindo sua história e utilidades, por isso trago a vocês uma receita muito simples e gostosa, o pudim de tapioca!(Também conhecido como bolo de tapioca em algumas regiões)

Ingredientes:
500g de farinha de tapioca*
01 litro de leite de coco.
300ml de leite integral.
02 xícaras de açúcar.
100g de coco ralado em flocos. (50% na receita e 50% para finalizar)
01 pitadinha mínima de cravo em pó.
01 lata de leite condensado. (para finalizar)

Modo de Preparo:
Coloque o leite de coco e o leite de vaca para ferver em uma panela grande, quando começar a ferver, adicione o açúcar, o cravo e metade do coco, mexa até dissolver e adicione a farinha. Abaixe o fogo e vá mexendo, a mistura engrossará gradualmente, vá provando e quando os grãos duros sumirem, desligue o fogo e coloque essa massa em uma fôrma de pudim (aquela furada) untada com um pouquinho de óleo (para facilitar na hora de desenformar). Deixe descansar por umas 2 horas e coloque na geladeira. Após desenformar (depois de gelado, geralmente no outro dia), derrame uma lata de leite condensado por cima, enfeite com o restante do coco ralado.

Dicas:
– *Farinha de Tapioca: Não me refiro à goma, me refiro a uma farinha dura e de granulação grossa, vendida em saquinhos de 500g. Nesse caso comprei da Yoki, com o nome comercial de “TAPIOCA” apenas.
– Usei coco ralado queimado, para dar uma cor ao pudim.
– Cuidado com a pitada de cravo, ela é mínima mesmo! Se não tiver em pó, coloque umas 05 florzinhas de cravo enquanto o leite ferve, mas tire antes de colocar a farinha (morder cravos não é legal). Acho esse detalhe importante, porque diferencia sua receita e dá um sabor daqueles beijinhos de festa.
– É uma receita muito simples e fácil. Mas é cansativo mexer a mistura quente e pesada por uns 15 minutos. Às vezes parece que os grãos da farinha nunca ficarão moles e a receita desandou, relaxe que dá tudo certo!
– Para untar a fôrma onde descansará o pudim, usei uma colher de sopa de óleo e espalhei utilizando meia folha de papel-toalha. Sem isso, o seu pudim pode grudar na hora de desenformar.

Biscoito de Chocolate e Limão

A primeira receita pós-viagem. Como o mundo é engraçado, não é? Fiz essa receita para reproduzir uns biscoitos que comi no Santo Grão de São Paulo, mas no final, só consegui fazer a versão gostosa e correta de uns cookies que fiz há quase 01 ano atrás!
Era para ser biscoitinho de chocolate com limão… alias, é isso! Mas os biscoitos não ficaram parecidos com o que eu esperava, mas confesso que ficaram uma delícia, super crocante, de sabor suave e caseiro!
Receita simples mas trabalhosa, recomendo dedicar uma tarde livre!


Ingredientes:

– 02 xícaras de farinha de trigo.
– 01 e ½ xíc. de Aveia (flocos finos)
– 01 xíc. De Chocolate em pó.
– 01 xíc. De Açúcar (fino)
– 02 ovos.
– 100g de manteiga.
– 01 colher (chá) de fermento
– 01 limão (raspas da casca e todo o sumo)

Modo de preparo:
Misture todos os ingredientes, faça bolinhas como pequenos brigadeiros e amasse fazendo pequenos discos na fôrma. Deixe em forno mínimo (cerca de 120-150°C) por cerca de 1 hora.

Dicas:
– Unte a fôrma com óleo, apenas um fio basta.
– Faça biscoitos finos e pequenos, porque eles são bons quando bem durinhos e crocantes
– Se alguém quiser teste com 02 limões, porque 01 limão apenas SOME depois de assado (apesar de se destacar enquanto a massa está crua)
– A receita rende uns 100 biscoitos médios, talvez precise de duas ou três fornadas (lembra que eu falei de usar a tarde toda?)
– Pode até fazer biscoitos menores e vender, essa receita custa uns R$ 6,00 aproximadamente e rende até 250 biscoitinhos pequenos (para cafés). Uma boa embalagem e valor agregado, o cara consegue 300% sobre isso sem bronca.

Bolo de Banana

Cof Cof… tragam um espanador!!! Esse blog já está cheio de poeira e teias de aranha! Hahahahaaha!

Lindas pessoas que aparecem por aqui, minhas mais sinceras desculpas por demorar tanto para atualizar. Eu sei que esse blog parece esquecido, mas não está não! O problema é que além de um tanto ocupado, andei cozinhando apenas coisas que já tinham no blog, nada de diferente ou especial. Essa receita que segue abaixo foi dada por minha amiga Duda Ferraz. No início achei estranha a quantidade de açúcar na receita e principalmente o uso de farinha de rosca no lugar de farinha de trigo convencional, mas consultando uns amigos chefs no ORKUT, descobri que é assim mesmo. Inclusive gostaria que vocês mandassem receitas para eu testar por aqui, podem fazer isso? Fico agradecido!

Ingredientes:

05 bananas

01 xícara de óleo

03 ovos

03 xícaras de açúcar

03 xícaras de farinha de rosca

01 colher (chá) de canela

01 colher (sopa) de fermento químico

02-03 bananas e 01 xícara de açúcar (à parte)

Modo de Preparo:

Bata os três primeiros ingredientes (banana, óleo, ovos) no liquidificador. Misture em uma tigela com os outros ingredientes (pode usar colher de pau ou uma batedeira para massas pesadas), vai virar uma gororoba grudenta e feia, hahahahaha. Agora está o pulo do gato… em vez de untar a forma com manteiga e farinha, use manteiga e o açúcar. Aquelas 02 ou 03 bananas a mais, corte-as como quiser e use para decorar por cima (elas ficam lindas quando assadas). Asse por aprox. 01 hora em forno médio-baixo (180-200ºC).

Dicas:

– Em vez de comprar farinha de rosca, faça em casa usando pães duros. Basta corta-los em fatias, asse no forno até virarem torradas (não muito queimadas, apenas para secarem) e bata no liquidificador. Fica bemmm melhor que comprar na padaria. 03 xícaras de farinha são aproximadamente 12 pães.

– Use uma fôrma grande, para a massa ficar baixa. Digo isso porque usei uma fôrma pequena, isso deixou o bolo alto e conseqüentemente cru no meio, me deu maior trabalho do mundo, teve que voltar para o forno para ficar bom.

– Untar com açúcar deu uma casquinha crocante e caramelizada, muito bom!

Bolo Boris

Pessoas!!! Como passaram esse carnaval? O meu foi ótimo, apesar de breve, curti algumas prévias e carnavalizei sexta, sábado e domingo, só parando segunda quando adoeci e foi GAME OVER pra mim. Sempre fui meio parado para essas coisas, mas carnaval de Pernambuco é o TheBest, não tem nem como comparar com aquelas porcarias que vemos no Rio de Janeiro e Salvador festas de outros estados. Aqui é carnaval original, igual ao da Idade Média européia, na rua, com cores, criatividade, brincadeiras e claro, 100% free! Sem contar a música, rock, reggae, frevo, sambas antigos e ritmos tradicionais! (Em Olinda é proibido por lei tocar axé, brega, swingueira e outros lixos musicais ritmos dessa família)

Essa receita é especial, peguei de um amigo e chef de cozinha, Boris Eizenman, é um bolo de queijo e coco, só de ler a receita e ver a foto, pirei! Corri ao supermercado, comprei os ingredientes e algumas horas depois já estava pronto sobre a minha mesa! Contei com a ajuda do meu amigão Marcelo Lima, que tem se saído um ótimo auxiliar de cozinha.

Ingredientes:

Bolo:

03 ovos
01 xícara de leite
02 colheres de sopa de margarina
02 xícaras de açúcar
½ xícara de queijo parmesão ralado
½ xícara de coco ralado seco
10 colheres de sopa de farinha de trigo (aprox 1 ½ xícara)
01 colher de sopa de fermento em pó

Cobertura: (Misturar)

½ xícara de leite condensado.

½ xícara de leite.

01 vidrinho de leite de coco. (200ml)

½ xícara de coco ralado (NÃO MISTURAR)

Modo de Preparo:

Bata todos os ingredientes do bolo, primeiro os molhados e por último os secos (farinha e fermento), coloque em uma fôrma untada para assar em forno pré aquecido (180°C) por 30-45min (até dourar). Retire do forno, faça furinhos e despeje aos poucos a cobertura, para absorver, para finalizar adicione mais coco ralado por cima. Deixe esfriar e coloque na geladeira.

Dicas:

– Antes de molhar o bolo quente, faça centenas de furinhos com faca ou garfo, use uma concha para despejar, paciência é importante.

– Na receita original é usado um liquidificador, mas eu usei batedeira.

– Adoro bolo quente, mas esse fica melhor gelado. Caso queira comê-lo ainda quente, desconsidere a calda.

– Quer conhecer melhor o Boris? Veja o Blog de um cozinheiro de verdade: http://doboris.blogspot.com/

– Não preciso repetir, queijo parmesão ralado não é aquela porcaria de saquinho!

Bolo Baton

Bolo Baton? Sim!!! BOLO BATON! Sabem aquele chocolate vagabundo, antigo e clássico da Garoto? Ele mermo!!!

Em vez de fazer um bolinho de chocolate sem graça, resolvi descer até a padaria, comprar 05 reais de chocolate e colocar pedacinhos no bolo. Ficou uma belezura, a maciez e suavidade da massa com pedaços pesados e doces de chocolate, DILIÇA!

Mais uma vez não tive palestra à tarde, não achei ninguém para tomar um café comigo, então fiz esse bolinho e um chá mate para acompanhar.

Ingredientes:

03 xícaras de farinha de trigo (peneirada)

02 xícaras de açúcar

01 xícara de chocolate em pó

01 xícara de leite

04 ovos (separar gemas e claras em neve)

02 colheres de manteiga (colheres generosas)

01 colher de fermento (generosa também)

10 chocolates Baton picados

Modo de Preparo:

Bata o açúcar, leite, gemas, manteiga até formar uma pasta amarela, adicione a farinha e o chocolate em pó (ambos peneirados), bata até virar a massa, coloque o fermento, o chocolate picado e a clara e mexa com cuidado, de cima para baixo. Coloque em fôrma untada, no forno pré aquecido (220°C) e deixe assar por 20-30 minutos.

Dicas:

– É um bolo pouco doce, pode até dobrar a quantidade de açúcar sem medo, dependendo de sua infantilidade seu paladar.

– Minha manteiga tinha sal, caso a sua não tenha, coloque uma pitada.

– Chocolate em pó não é Nescau!

– Coloque em fôrminhas e podem virar deliciosos muffins!

Bolo Branco Perfumado.

Olá meu povo.

Hoje não tive palestra no SEBRAE, assim passei a tarde em casa, vi Simpsons, depilei as costas, tomei café e claro, fiz um bolo!

Mas qual bolo fazer? Não queria comer algo comum demais, por isso acabei inventando um bolo branco perfumado. A idéia é simples, faço um bolo branco comum e coloco algumas especiarias para dar um toque diferente, rá! É o tipo de idéia idiota o bastante para dar certo. E deu! O bolo ficou fofinho e super saboroso, o cheiro dele é divino e apesar da aparência super comum, as pessoas vão perguntar “que bolo é esse?”. É fácil demais, vale à pena fazer em casa!

Ingredientes:

03 xícaras de farinha de trigo (peneirada)

02 xícaras de açúcar

01 xícara de leite

04 ovos (separar gemas e claras em neve)

02 colheres de manteiga (colheres generosas)

01 colher de fermento (generosa também)

01 colher de essência de baunilha

01 colher de rum

01 pitada de noz moscada

01 pitada de cravo em pó

Modo de Preparo:

Bata o açúcar, leite, gemas, manteiga e todas as especiarias (baunilha, rum, noz moscada e cravo) até formar uma pasta amarela, adicione a farinha, bata até virar a massa, coloque o fermento e a clara e mexa com cuidado, de cima para baixo. Coloque em fôrma untada, no forno pré aquecido (220°C) e deixe assar por 20-30 minutos.

Dicas:

– Cuidado com as especiarias, se colocar um pouco a mais elas podem estragar o bolo, principalmente noz moscada e rum, que são fortes.

– Minha manteiga tinha sal, caso a sua não tenha, coloque uma pitada.

Cuca de Banana Diet

Acho que é a primeira comida zero açúcar que coloco em meu blog. Fiz essa cuca de banana porque meu pai é diabético e gosta muito desse bolo. Fiz basicamente a mesma receita que a tradicional, só alterando a parte de açúcar e diminuindo também a farinha  porque apenas meu pai comeria e deixando propositalmente mais “gorda”, o adoçante culinário seca as massas e dificultaria meu trabalho.

A cuca é um bolo alemão-brasileiro, a palavra vem de “kuchen”, bolo em alemão. Consiste em uma massa baixa e pouco doce, não muito molhada e nem muito seca, sobre ela alguma fruta fatiada e uma farofa doce com especiarias (canela principalmente). A fruta pode ser uva, banana, abacaxi ou maçã.

Fiz uma receita tradicional e uma diet (da foto), elas ficaram parecidas fisicamente e também no sabor, a diet só ficou mais branquinha porque na farofa da outra foi usado metade de açúcar mascavo.

Cuca de banana

cuca de banana

Ingredientes:

Massa:

02 xícaras de farinha trigo.

½ xícara de adoçante culinário.

120g de manteiga ou margarina.

02 ovos.

01 colher (sopa) de fermento químico

01 colher (chá) de essência de baunilha.

01 pitada de noz moscada.

Cobertura:

04 a 05 bananas

½ xícara de farinha de trigo.

¼ xícara de adoçante culinário.

40 g de manteiga ou margarina (uma colher bem cheia aprox)

01 colher (chá) de canela em pó.

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes da massa até ficar liso e homogêneo (talvez tenha que usar um pouco as mãos) e coloque em uma fôrma untada com manteiga e farinha.

Para o recheio, fatie as bananas longitudinalmente (de comprido) e a parte, misture os outros ingredientes, fazendo uma farofa.

Depois monte, colocando as bananas sobre a massa e forrando tudo com a farofa. Coloque em forno médio pré-aquecido (220°C) e deixe lá por 30 minutos aprox.

Dicas:

-Prove a massa ainda crua, corrija o adoçante, porque eles podem variar muito de marca para marca.

– Quando for trabalhar a massa, pode adicionar mais manteiga ou um ovo, se ela ficar seca ou quebradiça.

– Deixe tostar bem, nem que abaixe o fogo e fique mais tempo.

– Para a receita tradicional, aumente para 03 xícaras de farinha de trigo e 01 xícara de açúcar. Na farofa use açúcar mascavo e açúcar branco, meio-a-meio.

Torta de Banana

Fiz essa torta à pedidos dos funcionários da empresa. Para simplificar, usei a mesma massa da torta de maçã, porém dessa vez ela ficou com uma textura muito diferente, mais mole e menos quebradiça. Acho que foi porque usei mais farinha da outra vez, fica a critério de cada um, como prefere trabalhar a massa. O sabor não mudou, porém a primeira (de maçã, mais seca) ficou com textura de biscoito e essa lembrou um bolo.

Como foi uma coisa rápida, usei as bananas que estavam disponíveis e não me dei ao trabalho de cobri-la, mas na próxima vez usarei 50% a mais ou o dobro de banana e farei o dobro de massa, para cobri-la.

Torta de Banana

Torta de Banana II

INGREDIENTES:
Para a Massa:

01 1/2 xícaras de farinha de trigo (mais ou menos)
01/2 xícara de açúcar
120g de margarina com sal (meio potinho)

01 ovo

01 colherinha de chá de essência de baunilha.

Para o recheio:
05 bananas fatiadas.
01 colher (chá) de canela em pó.
¼  de xícara de açúcar mascavo.

MODO DE PREPARO:
Em uma batedeira, bata os ingredientes da massa e forre o fundo-lateral da fôrma. Adicione os ingredientes do recheio e se sobrar massa (ou fizer uma quantidade maior), cubra. Asse por 40 minutos em forno baixo (200°C).

DICAS:

-Caso cubra a torta, faça furinhos para o vapor sair e pincele a parte superior da massa com gema de ovo para um dourado bem bonito.