Torta Banoffee

Vamos começar a série de receitas do Natal e Ano Novo?
Ok, não é um dos clássicos dessa época do ano, alias, sejamos sinceros, essas comidas de final de ano, por mais que sejam bregas e não tenham nada a ver com o verão brasileiro, são uma delícia! Sou um grande crítico do Natal, principalmente (e quase exclusivamente) sua estética nórdica, com neve, pinheiros, renas e aquele velho barbudo, acho o cúmulo do ridículo. O AnoNovo já é outro nível, confraternização mundial, todos de branco e na praia (influência afro), esperança se renovando, hora de repensar os planos e iniciar novos projetos.
Fechado o parêntese de críticas pessoais, vamos ao que interessa?! COMIDA!!!
Essa torta é uma delícia, comem muito aqui em Curitiba e inclusive achei que fosse coisa de curitibano (povo bom em fazer gordices extremas), pesquisando rapidamente achei sua história em vários sites, mas a mais completa está nesse blog http://acozinhacoletiva.blogspot.com.br, que inclusive é excelente e humilha o meu.
Segundo o blog citado: “A Banoffee Pie é uma torta inglesa, criada em um pub chamado The Hungry Monk [O Monge Faminto]. O nome vem da combinação de duas palavras – banana e toffee – os dois ingredientes principais da receita. O “toffee” se refere ao caramelo obtido através do cozimento do leite condensado, isto é, nada mais que um doce de leite marronzinho e cremoso. E “banana” – adivinhe! – fatias de banana, claro..rs. É simples de fazer e doce, bem doce!
A receita dele é um pouco diferente da minha, mas fica a seu critério escolher qual agrada mais. O que ficou claro, bemmm claro, é que as fotos dele ficaram maravilhosas e realmente deixaram a minha mais feia do que já é. Nunca altero as fotos do blog com photoshop, mas essa precisei da ajuda de minha amiga Ana Lúcia para dar um retoque nas cores.

Imagem
Ingredientes:
Base:
150g de biscoito triturado.
50g de manteiga.
01 ovo.
01 colher(sopa) farinha de trigo (opcional)
Recheio:
02 latas de leite condensado cozido.
05 Bananas maduras.
Cobertura:
01 lata de creme de leite gelada.
02 colheres (sopa) de açúcar fino.
Noz Moscada.
Gotas de chocolate (opcional)

Preparo:
Antes de tudo, no dia anterior, coloque as duas latas de leite condensado em uma panela de pressão com bastante água, feche a panela e deixe cozinhando por 01 hora após pegar a pressão, desligue e deixe lá até a pressão sair. Só abra a lata no outro dia preferencialmente, muito cuidado com a pressão, tanto da panela quanto das latas (que mesmo depois de esfriar, continuam “explosivas” por algumas horas).
Para a massa, bata o biscoito no liquidificador (eu usei de chocolate, mas pode ser de maisena ou semelhante), misture com a manteiga e o ovo, se achar que ficou muito líquida, coloque a farinha e vá preenchendo o fundo e lateral da fôrma (fundo removível!). Se quiser massa mais grossa, aumente as proporções. Se quiser, pode fazer sem ovo ou farinha, então não precisa assar, mas com esses ingredientes ou se fizer apenas mais grossa, recomendo um “susto” no forno.
Para o recheio, corte as bananas longitudinalmente (de comprido), forre a massa toda com as bananas e coloque o doce de leite por cima, se esse doce estiver duro demais (bem provável), despeje-o em uma tigela e aquece duas vezes por 1minuto, mexendo entre as vezes. Forre as bananas com o doce ainda quente.
Para cobertura, bata o creme de leite bem gelado com o açúcar e a noz moscada, depois forre o doce de leite, se quiser, cubra com gotas ou raspa de chocolate, pouquinho de canela ou o que sua imaginação permitir.
Deixe na geladeira por 2 ou 3 horas no mínimo.

Dicas:
– Reforçando o cuidado com as latas de leite condensado e a panela de pressão, ok?
– Pode assar rapidamente ou não a massa, é opcional, só cuidado porque massas com muita manteiga podem derreter com calor em vez de assar.
– Despeje o doce de leite ainda quente sobre as bananas, isso “cozinha” um pouco elas.
– Quando for bater o creme de leite, além de drenar o soro, ele deve estar bemmm gelado mesmo, iclusive as pás e a tigela da batedeira podem ser colocadas no freezer antes.
– Se a torta ficar 30minutos no freezes antes de servir, quase congelada, fica deliciosa.

Anúncios
Published in: Sem categoria on 12/01/2013 at 22:48  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , , , , ,

Creme de Abóbora

Se existe um blogueiro inútil, este sou eu!
Além de deixar esse lugar semiabandonado desde que virei cozinheiro, ainda posto uma receita de inverno pouco antes de começar o verão!
Parece uma brincadeira de mau gosto, não?
Claro que a maioria das pessoas preferem sopas durante o inverno, principalmente se for uma sopa ou creme gordo, com bons pedaços de carne, legumes pelantes e um caldo cheiroso, encorpado e cheio de sabor e sustança. Mas eu sou daqueles que não dispensa uma sopinha mesmo nos dias quentes, pois é algo leve e aconchegante para se comer à noite, principalmente quando se janta após 22:00.

Aprendi a fazer esse creme com minha chefe, que é servido durante as noites de inverno lá no restaurante, super simples de se fazer e dependendo de onde se arruma a abóbora, fica uma receita muito barata, considerando que alimenta algumas pessoas. Outra coisa boa dessa receita, é que apesar do bacon e do creme de leite, é muito delicado e suave, boa mesmo para consumir 1 ou 2 horas antes de se deitar.

Ingredientes:
– 01 Abóbora Cabotiá.
– 250ml de leite integral.
-350ml de água.
– 100g de bacon picado.
– 02 dentes de alho e/ou meia cebola pequena.
– Meia caixinha de creme de leite (100g)
– Sal e Pimenta do reino q.b.

Modo de Preparo.
Fatie a abóbora em 6 a 8 pedaços, coloque no forno por cerca de 1h a 2h, até ela ficar mole. Bata no liquidificador a “carne” da abóbora, água, leite, sal e pimenta. Em uma panela doure o alho, cebola e depois o bacon, adicione o caldo, deixe ferver por 20min, corrija o sal e finalize com o creme de leite (após desligar o fogo).

Dicas:
-Usei uma abóbora média-pequena para essa sopa, aumente as medidas de acordo com seu bom senso. (Essa servem 4 pratos ou duas pessoas esfomeadas)
– Quando assá-la, deixe a casca para baixo (tipo meia-lua) e o ponto “mole” não é derrentendo, serve apenas para perder aquela dureza.
–  “Carne” da abóbora significa ela sem casca, só isso! 🙂
– A cebola e o alho são opcionais, eu gosto dos dois. O mais importante é deixar o bacon bemmm frito, porque assim a gordura derreterá bem e não ficarão sebinhos horríveis no meio.
– Enquanto o caldo ferve, ele soltará uma espuma fina, retire isso para deixar a sopa mais bonita. (Não sei se isso altera o sabor).
– É muito importante finalizar com o creme de leite. Algumas pessoas usam queijo gorgonzola, mas cuidado com o sal!
– Pode misturar salsinha e cebolinha picadas, também melhor após desligado o fogo.
– Dá para fazer sem bacon, nunca testei, mas deve ficar tão bom quanto. (Os vegetarianos comemoram!)

Harmonização Musical:
Nunca mais tinha colocado músicas aqui, né?
Essa tem tudo a ver com uma boa sopinha de abóbora: