Farofa de Banana e Bacon.

Tem coisa mais gostosa que farofa salgada-doce de fim de ano?
Sim! Farofa salgada-doce de fim de ano requentada no café da manhã do dia seguinte!
Hahahahahahahahahahaha
Gordofeelings.
A receita que se segue é muito simples, pense numa coisa fácil e boa!
Não precisa esperar o final de ano, faça isso ao menos uma vez por mês e será uma pessoa mais gorda alegre para sempre!

farofa banana bacon
Ingredientes:
200G de bacon.
03 cebolas grandes picadas.
50-100Ml de óleo
01 pimentão vermelho.
50-100G de manteiga
500-750g farinha.
3-5 bananas em rodelas.
½ Maço de cebolinha
Sal e pimenta do reino.
Damasco (opcional)

Modo de Preparo:
Frite bem o bacon, adicione o óleo e as cebolas, deixe caramelizar e então coloque os pimentões e refogue um pouco, coloque a farinha e a manteiga (sal e pimenta). Vá mexendo a farofa até a farinha tostar, esse ponto é delicado, toda atenção é pouca! Após ficar pronto, coloque a banana em rodelas e a cebolinha, tampe e deixe descansar por no mínimo uma hora. Depois servir. 🙂
O damasco fica lindo por cima e muito gostoso também, ferva ele rapidamente em pouca água para fica mole e suculento e deixe-o descansando ali, só colocando POR CIMA da farofa na hora de servir.

Dicas:
– Medidas são todas variáveis, depende das porções, gosto e ingredientes (tipo farinha, a granulagem dela muda tudo!)
– A cebola pode ser picada da forma que quiser, eu cortei em quadrados grandes e grosseiros.
– Não usei alho porque foi servido com um lombo de porco cheio de alhos encravados nele. (qualquer dia coloco a receita)
– Não refogue ou mexa muito a banana, viraria uma inhaca. Esse descanso é justamente para ela “cozinhar” no calor da farofa e acontecer uma troca de sabores. O ideal é deixar umas 3 horas descansando antes de servir e servi-la em temperatura ambiente ou morna.

Anúncios

Pancakes com Mirtillo.

Depois de tanto tempo sem postar receitas, trago algo digno! Estava trabalhando muito e agora estou um tempo em off, botando os estudos em dia e fazendo bicos até começar em um novo emprego.
Sabem quando uma receita dá totalmente errado?
Bem, vamos começar do início. Fui ao mercado comprar material de limpeza, percebi que o mirtillo (blueberry) estava em promoção, 5 reais por 2 potinhos de 200g cada. Comprei sem pensar duas vezes e só pensei no que fazer com ele depois que cheguei em casa. Liguei para minha ex-chefe e ela sugeriu fazer uma calda, assar um bolo e quando a massa estivesse crua no forno, mas já firme, jogar a calda por cima, para cobrir-e-penetrar de maneira correta. Eu concordei e fui fazer… Mas nem tudo é como queremos, por algum motivo a fôrma (de fundo removível) começou a vazar (nunca aconteceu antes) e sujou-queimou todo o fundo do forno, foi aquela fumaceira e trabalhão para limpar. QUE ÓDIO!
Por sorte salvei a massa e percebi que parte daquela que caiu, tostou e ficou gostosa, mui semelhante àquelas pancakes americanas. (Sim, o gordo provou! Vocês fariam o mesmo!)
A Calda já estava pronta, apenas passei manteiga em uma frigideira de teflon grossa, despejei um pouco da massa e espalhei… resultado: sucesso absoluto! Depois de prontas e empilhadas, pus a calda de mirtillo quente por cima! Perfeito e apesar dos acidentes de percurso, simples de se preparar.
Gostaria de fazer um adendo, não confundam a pancake americana com a panqueca brasileira, que apesar do “mesmo” nome, as nossas se parecem mais com crepes (massa fininha) e geralmente comemos enroladas, com recheios salgados. Essa americana é mais alta, de discos um pouco menores e com textura que lembra bolo branco.

Imagem

Ingredientes:
03 xícaras de farinha de trigo (peneirada)
02 xícaras de açúcar
01 xícara de leite (um pouco mais se achar muito firme)
04 ovos
02 colheres (sopa) de margarina (colheres generosas)
01 colher (sopa) de fermento (generosa também)
Para a Calda:
400gr de Mirtillo.
100g de Açúcar.

Modo de Preparo:
Bata os ingredientes da massa por 5 minutos, reserve.
Para a calda, basta apurar um pouco as frutas no açúcar, estourando umas frutinhas para deixar mais líquido.
Depois passe manteiga ou um fio de óleo em uma frigideira teflon (preferência grossa!) e deixe tostar em fogo baixo, quando ela inchar e já estiver dourado, vire e repita isso até a massa acabar ou achar que já está bom.
Depois só aquecer a calda no microondas e jogar por cima dos discos.

Dicas:
– Essa massa é muito versátil, além de pancakes, pode virar bolo branco no forno.
– Pancakes podem ser comidas como preferir: com geléias, mel, syrup, mel de engenho, caldas variadas, mas eu prefiro com manteiga, açúcar e canela. (acompanhado por café, obviamente!).
– Essa receita rende cerca de 8 discos, o que na minha concepção alimentam 4 pessoas com vontade de comer!
– Gordo de verdade coloca açúcar de confeiteiro por cima. 

Published in: Sem categoria on 18/03/2012 at 22:25  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , , ,

Pudim de Leite

Leitores queridos. Como vão as senhoras e senhores nesse lindo 2011?
Estou ansioso, pois: traçando o plano de negócios da empresa (segredo ainda), esperando o resultado de uma prova (para ser professor de gastronomia do SENAC) e indo viajar daqui uma semana para Recife, onde tirarei fotos e postarei no blog. A coisa mais engraçada do mundo é voltar para sua cidade como turista!
A receita que vou postar é vergonhosa de tão simples! Espero compensa-los na próxima postagem, pois já postei coisas muito parecidas aqui, como o flan ou o pudim de café, ambos com receitas quase iguais.
Como sabemos, o pudim de leite talvez seja um dos doces mais comuns no Brasil e provavelmente no Mundo!(sob outras versões e nomes)
Leite, ovos e açúcar sempre foram a base da confeitaria, principalmente a portuguesa e brasileira. Mas esse pudim como o  conhecemos, usando o leite condensado em lata, surgiu no Brasil no fim do Séc. XIX, com a importação de latas de leite condensado de uma fábrica suíça (Nestlé) com o desenho de uma bela moça no rótulo. Como se tratava de uma novidade tecnológica (leite enlatado), logo o doce foi apelidado de “Pudim Republicano”, pois aconteciam essas mudanças políticas naquela época.
O resto da história nós conhecemos, uns gostam dele furadinho e outros mais maciço, uns gostam da calda mais queimadinha e amarga e outros praticamente sem calda… o importante pra mim é comer essa delícia em alguma tarde preguiçosa, depois de uma refeição leve e ouvindo uma música gostosa. Por isso vou testar uma nova coisa no blog, indicar músicas que harmonizem com a comida! Claro, música tem muito mais a ver com seus gostos e seu estado de espírito, do que ficar “casando” com o doce ou salgado dos pratos, mas não custa juntar duas coisas maravilhosas como a música e a gastronomia! Coisa de gente mais fresca, gay, desocupada, idiota, sensível mesmo.
A foto ficou meio diferente, pois as luzes desse apartamento são péssimas e me obriguei a fotografar da varanda!

Ingredientes:
– 01 lata de leite condensado (usei Nestlé)
– 01 e 1/2 lata de leite integral (usar a lata do leite cond. como medida)
– 03 ovos (peneirados)
– 01 micro-mini-little raspinha de limão (opcional)
– 1/2 xícara de açúcar (para calda)

Modo de Preparo:
Coloque todos os ingredientes no liquidificador (menos o açúcar da calda) e deixe batendo. Enquanto isso, faça a calda na própria fôrma furada do pudim, fogo baixo e sempre mexendo. Após a calda pronta, deixe esfriar por 30s a 1min, coloque a mistura que estava batendo no liquidificador por cima. Tampe e coloque em banho maria (forno baixo pré-aquecido, 180°C) por 1 hora e meia.

Dicas:
– A raspa de limão é opcional, ela não dará sabor, mas tende a diminuir o cheiro-gosto de ovo que pode ficar no pudim.
– Peneirar as gemas do ovo ajuda a evitar o tal gosto indesejado (sinceramente, nunca senti, mas algumas pessoas reclamam)
– Se bater bem no liquidificador (uns 3-6min), ficará mais furadinho. Se quer ele mais maciço, bata só o bastante para misturar os ingredientes.
– Quando for fazer a calda, cuidado para não se queimar. Use uma luva especial para segurar a fôrma e ela não virar, cuidado ao ponto, nao deixe ferver-queimar e nem com pedras de açúcar.
– Esse tempinho para “esfriar” o açúcar é muito delicado, pois se passar disso vira uma bala por esfriar demais e se for antes, o caramelo mistura ao pudim, ele fica escuro e sem contraste.
– Uma dica para desenformar, é além de passar uma faca nas bordas, colocar um pano úmido quente no fundo da fôrma antes de vira-la.

Música:
Não sei se vocês vão gostar, eu também acho a música “açucarada” demais e a cantora polêmica (alguns amam e outros odeiam), mas acho que com pudim combina:

Mallu Magalhães – Tchubaruba
Download: http://www.4shared.com/audio/P63IVWEl/Mallu_Magalhes_-_Tchubaruba.htm
Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=f0_lDCMHjsM