Lasagna

Usei o nome genérico “lasagna” para designar a versão feita por minha irmã Cláudia, mas sabemos que existem infinitas variedades desse prato: temos com legumes, apenas com molho branco, bolognesa, com massa verde, frango, entre outras… Assim como suas versões, também é notável suas histórias, tendo basicamente duas origens, uma grega da palavra Laganon que batizava um prato feito de tiras de massa intercaladas (tipo um pão) e também do grego Lasana, depois emprestado pelos romanos como Lasanum, significava pote de cozinhar, equivalente a caçarola em nossa língua. Existe ainda uma terceira teoria, que deriva de uma receita inglesa do século XIV, mas não me pareceu razoável e prefiro nem levar em conta, pois deve ser derivada da greco-italiana.
Voltando à receita original da minha irmã, ela leva molho branco e bolognesa, queijo muçarela e parmesão, massa e presunto (este último, inovação minha). É uma receita de muitas etapas e dicas, trabalhosa, mas simples depois que se pega o jeitinho. MUITO IMPORTANTE LER E RELER AS DICAS.
Desculpem a foto, todas ficaram meio feinhas, mas é que lasagna é um prato pouco fotogênico mesmo. (CLIQUE NA IMAGEM PARA ABRIR TODA)Imagem

 

Ingredientes:
Pacote 400g massa di grano duro para lasagna.
300G presunto.
400G muçarela.
50G parmesão ralado.
200Ml leite

Molho Bolognesa

01 cebola grande picadina.
05 tomates maduros picados.
250G de carne moída.
4 latas de tomates pelados italianos.
Sal, pimenta e salsinha a gosto.

Molho branco.
02-03 colheres de farinha de trigo.
40G de manteiga.
500Ml leite integral
Sal e noz moscada.

Modo de preparo:
Bolognesa: Refogue bem a cebola, em seguida a carne (com pimenta apenas), depois adicione os tomates em cubos, salsa e sal. Refogue tudo até os cubos “derreterem”, adicione os tomates em lata e vá esmagando-os, um a um. Deixe em fogo baixo por no mínimo duas horas, tampado.
Branco: Derreta a manteiga, adicione a farinha e deixe-a “tostar” um pouco (não precisa escurecer!), baixe o fogo, adicione a nós moscada e vá adicionando o leite pouco a pouco, repito, POUCO A POUCO, se colocar um pouco a mais, vai empelotar tudo. Se tudo der certo, além de não empelotar, o molho ficará mais “ralo” que o habitual (já que é para lasagna)
Na hora de montar faça a ordem: Fundo, bolognesa, massa, branco, presunto, muçarela, bolognesa, massa, branco, presunto, muçarela, bolognesa, massa, branco, presunto, muçarela bolognesa, massa, branco e muçarela.
Feche a fôrma com papel alumínio, leve ao forno médio-baixo pré aquecido por 45 minutos, depois retire o papel, adicione o parmesão e deixe aberta até gratinar.

Dicas:
-Compre uma massa boa para fazer a lasagna e seja generoso ao fazer os molhos, pois ela deve ser bem molhada, se sobrar (que é raro), pode comer com macarrão depois.
– Deixe as folhas da massa embebidas em leite por uns 2 a 5 minutos antes de montar a lasagna, isso “amolece” e garante que elas não fiquem cruas caso tire antes da hora ou alguma parte fique seca, esse leite é usado, pois derrama-se um pouco na própria lasagna, de preferência nas partes que parecem mais secas.
– Use uma fôrma profunda e grande, essa receita é para umas 8 pessoas, pode obviamente adapta-la e fazer para 16, 4 ou 2. Use apenas fôrmas de louça ou vidro, metal e lasagna não combinam.
– Alecrim, orégano, tomilho ou outras ervas, ficam a seu critério, pessoalmente acho que alecrim é a que mais combina, mas cuidado com exageros!
– NUNCA deixe a massa tocar no presunto ou queijo, devem estar sempre em contato com molhos.

Published in: Sem categoria on 02/10/2012 at 12:59  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , , , , , ,

Leão do Norte Confeitaria

Finalmente, depois de meses de enrolação espera, a empresa saiu do papel!

Começamos nossas operações oficialmente hoje. O site ainda está incompleto, mas aos poucos vamos estruturando. Por enquanto usando as fotos do blog e com poucas opções, mas espero melhorar logo.

Não sei se vai dar certo, se vai crescer e tudo mais… mas se não quisesse correr riscos, iria fazer concurso público.

Comecei fazendo uma promoção de dia dos namorados, me preocupando mais com divulgação que com o lucro, vendendo quase a preço de custo.

É uma caixinha com 14 bombons, são: 6 Marias Bonitas, 4 trufas de maracujá com chocolate meio-amargo e 4 de frutas vermelhas com chocolate branco. Tudo isso por apenas 10 reais! É preço de PeixeUrbano LiquidaçãoLouca que dá até para revender!

Confesso que ficaram bem gostosas e relativamente bonitas. Nada mal para uma “primeira safra”. Tive meus contratempos, perdi uns materiais por errar na quantidade de creme de leite e outras chatices, mas agora já descobri as proporções exatas.

É um momento de incertezas e de muito trabalho. Para fazer 10 caixas, gastei cerca de 8 horas (intercaladas, pois doce sempre precisa de descansos e coisas desse tipo), fiquei com muita dor nas costas, mas tá aí o resultado:

60 Marias Bonitas, 80 trufas e 10 caixinhas:

Eram 100 caixinhas, já vendi 25… Aproveitem enquanto é tempo!

Aviso que quando eu ficar famoso, vou idolatrar quem me ajudou e cuspir na cara de quem me desprezou! Muhuahuahuahuahuahuahuahuahuahua!!! (risada maléfica)

Além disso, estou ensaiando o tão aclamado Vlog, que terá o mesmo nome que esse blog, Tanamesapessoal. Onde farei receitas triviais (arroz, feijão, bife, ovo, bolo, etc), explicar passo-a-passo em vídeo o preparo daqueles pratos que comemos todos os dias e quase ninguém sabe realmente fazer.

Abraços, conto com vocês nesses momentos de suor. Afinal de contas, até a maior das arvores já foi uma sementinha e precisou de apoio para ser o que é.

Site Leão do Norte:

http://www.leaodonorteconfeitaria.com

Quem é de Curitiba, ligue para pedir 41-96851823 (ligue TIM grátis ou pode dar um toque de fixo que eu retorno)

Comida Reciclada e Torradas de Brownie.

Quem nunca “reciclou” uma comida? Desde coisas simples como adicionar ingredientes ao miojo, usar sobras do almoço para fazer uma sopa no jantar, pegar os pães velhos e fazer torradas, das torradas fazer farinha de rosca e da farinha, um belo bolo! Assim por diante…

Acho isso tão importante na mesa do brasileiro! Pois além de compor no mínimo uns 10% das nossas refeições, segundo o ITC (Instituto Tadeo de Chutômetro), reciclar e reaproveitar comida de uma forma limpa e engenhosa, exige muita inteligência gastronômica, pois é preciso entender de tudo: proporções, processos químicos e físicos, harmonia, etc.
Vou exibir abaixo algumas dicas:

-Pão: Quando está duro, com 24 a 72 horas em saco de papel, passe rapidamente sob a água da torneira (menos de 1 segundo!), espalhe com as mãos a água sobre toda a superfície do pão e coloque em forno bem quente por uns 3 minutos. Pode parecer estranho molhar o pão, mas é uma “molhadinha de leve”, que atinge apenas a casca. Isso faz com que o vapor renove o pão, caso contrário (colocar o pão sem molhar), ele apenas desidrata e vira uma torrada, principalmente se o forno estiver baixo.

-Arroz: Não adianta colocar no fogo novamente, ele queima, debulha e às vezes nem esquenta uniformemente. Coloque em recipiente semi tampado no micro-ondas com um pouquinho de água ou em uma cuscuzeira. Em último caso, misture com ovo, temperos e farinha de rosca, frite como bolinhos! (existem milhares de receitas na internet)

-Carnes: No caso do boi, porco ou frango, tanto cozido como assado, dá para desfiar, refritar e fazer uma bela farofa no dia seguinte ou até mesmo um arroz “caipira”, que é de comer ajoelhado. Se for cozido, use o caldo para regar a farofa e deixá-la bem úmida e saborosa.

-Tomates: Depois que estragam, jogue fora. Mas caso tenha em excesso (além do que vai consumir), pode pulverizá-los ou fazer um molho e depois congelar. O tomate é uma das poucas verduras que não perde nutrientes quando cozidos, moídos, batidos, espancados, torturados ou processados.

-Bananas, abóbora e outros: Quando temos em excesso, coloque açúcar e manda pra panela, rendem ótimos doces! Alias, doce de abóbora com pouco açúcar e um toque de manjericão é antepasto de restaurante contemporâneo metido chic da Oscar Freire.

-Bolos e brownies: Motivo da criação dessa postagem! Fiz o teste de um brownie branco que não deu muito certo (ficou com gosto de ovo e farinha crua), por isso fracionei e coloquei em forno baixo por 30 minutos, desliguei o forno, virei as fatias e deixei lá no forno quente e desligado(por mais 30min) para desidratar. O mesmo pode ser feito com qualquer bolo, principalmente os mais “gordos”, como bolo de rolo ou outros que tenha muito óleo, manteiga, chocolate ou ovos, tanto quando eles não ficam muito bons (solados, com gosto estranho, desarmoniosos, secos, etc), como quando estão velhinhos. Todas as padarias de Recife fazem isso, o bolo não vende e vira deliciosas torradas! É perfeito com café!

Modéstia a parte, mas ficou tão gostoso que estou pensando seriamente em incluir na gama de produtos da empresa, torradas de chocolate branco e nozes! Seria o sucesso! Espero iniciar as atividades comerciais entre dia 05 e 12 de Maio aproximadamente, vou exibir alguns produtos, gostaria de contar com a participação dos leitores para escolher sabores, detalhes e até ter noção de preço, claro, também aceito receitas, principalmente as regionais, tradicionais ou de família!

Daqui pra frente as receitas tomarão um rumo mais trivial, ficarei um pouco fora dos bolos, biscoitos, salgadinhos e tortas, pois serão minha mercadoria e prefiro não exibir a receita aqui, mas estou engatilhando um vlog de cozinha trivial (só não comecei ainda, por causa de um maldito cartão de memória), ensinando as comidas básicas passo a passo, além de fazer uns pratos diferentes ou exóticos como o sunomono (que já fiz!) e o jap chae, uma espécie de yakisoba coreano delicioso! Acredito sinceramente que o blog melhorará, mesmo sem os tradicionais bolos (mas obviamente vou manter as receitas aqui já expostas), porém chegou a hora de darmos um voo mais alto e tenho certeza que todos sairão ganhando!

Brownie

Continuo nos meus testes para a empresa. Dessa vez fiz brownie! O famoso bolo molhado americano de chocolate e nozes, que pode ser servido em temperatura ambiente ou quente com sorvete. Queria fazer o mais próximo possível do original, tarefa difícil, pois mesmo sendo uma receita simples, existem milhares delas na internet, todas muito diferentes uma das outras. Risquei aquelas com ingredientes toscos, como achocolatado em pó e também aquelas com ingredientes desproporcionais, como 8 ovos! Pesquisei a técnica com o Felipe, que já foi cozinheiro do HooCafé e me lembrei que quando trabalhava lá, os brownies feitos com manteiga davam errado, o correto era usar margarina!

O brownie deve ter doçura suave (chocolate amargo), textura de bolo comum nas bordas e grudento no meio (sim, ele é “meio cru”) e uma casquinha delicada por cima, além disso deve ter algum crocante, de preferência nozes, para dar uma textura mais interessante ao bolo que é úmido e mole.

Ingredientes:

250g de chocolate meio amargo (barra nestlé)

150g (1 ¼ xíc) de farinha de trigo.

180g (1 ¼ xíc) de açúcar.

75g de nozes debulhadas.

50g de margarina sem sal (+20g para untar)

03 ovos

01 colher (café) de fermento químico.

01 colher (café) de essência de baunilha.

MEIA colher (café) de sal.

40cm de papel manteiga.

Fôrma 30X20cm (importante o tamanho)

Preparo:

Passe margarina na fôrma e no papel já ajustado a mesma. Misture os ingredientes secos (farinha, açúcar, nozes, sal e fermento) em uma tigela, bata bem os 3 ovos com a baunilha em outra e faça um tipo de ganash com o chocolate e as 50g margarina. Depois some as 3 porções (secos+ovos+ganash), misture com uma colher e espalhe bem na fôrma empapelada. Forno baixo pré aquecido (160-200°C) por 25-30 minutos.

Dicas:

-Untar apenas com margarina, sem farinha. Ajuste bem o papel nos cantinhos da fôrma.

-O tal “ganash” com chocolate e margarina pode ser feito no micro-ondas, deixe por 1 minuto, misture bem com o garfo, mais 1 minuto, misture novamente e mais 30s. O importante é cada vez mexer bastante, vai ficar escuro e bem espelhado. Espere esfriar um pouco antes de misturar aos outros ingredientes.

-O ponto do brownie é muito importante, ele deve ter uma casquinha crocante por cima e quando você espetar um palito ou garfo, suas pontas sairão meladas. Como já disse, é um bolo diferente daquele que estamos acostumados.

-Não dá para mexer muito nele quente, espere esfriar para cortar e comer. Se você gosta de brownie quente com sorvete, deve pega-lo frio, coloca-lo no micro-ondas e depois colocar o sorvete. Pois ele se desmancha logo que sai do forno.

 

Música

Confesso que faço essa postagem um tanto triste. Ontem uma colega de Recife foi assassinada em uma tentativa de assalto. Apesar dos índices terem melhorado nos últimos 5 ou 6 anos, a capital pernambucana ainda é uma cidade violenta e a vida de muita gente acaba de uma forma inesperada. Quando essas coisas acontecem, pensamos como a nossa vida tem fim sem aviso prévio, muitas vezes prematuramente, como aconteceu com a Nanda aos 26 anos. Por isso vou postar a música que ela tinha no “quem sou eu” do seu perfil no Orkut, uma singela homenagem a quem nos deixou de uma forma tão brusca:
14 Bis – Caçador em Mim.
http://www.youtube.com/watch?v=H8FJLdtE3vo

Teste Docinhos

Olá pessoas, como citei no antigo post, estou abrindo uma empresa que fabrica e vende doces. Ainda estou analisando muitas coisas, como: gramaturas, preços e condições dos fornecedores, como serão as vendas, etc… Apenas pequenos detalhes. A empresa ainda não tem nome, mas provavelmente será Leão Do Norte, em homenagem ao Estado de Pernambuco, que vivi por 14 anos e de onde vem a inspiração para a maior parte das receitas.

Por enquanto só venderei esses doces a base de castanha, brigadeiro branco e chocolate (que vou batizar de Maria Bonita), mas aproveitei para fazer teste com outras amêndoas e algumas frutas secas, como damascos, figos turcos, ameixas e uvas. Claro, existem os doces triviais como brigadeiro, beijinho, bem casado e as tortas, bolos e coisas do tipo. Mas foi um dia de experiências, nunca tinha trabalhado com frutas secas, geralmente as como in natura.

Não tenho preço 100% definido ainda, mas provavelmente teremos caixinhas de 6 por R$5,00, 14 por R$ 10,00 e 28 por R$ 20,00, chegando a R$99,00 a caixa com 180. Ao contrário das fotos, as caixinhas terão fitas e adesivos com o símbolo da empresa. Claro, cada uma delas terá um cartão com site, email, telefone, etc. É um preço muito baixo, serve mais para divulgar a empresa e futuramente render encomendas. A propósito, quero agradecer minha ex-vizinha Sandra que me deu essa receita, ela já vende em Recife e eu “importei” para terras curitibanas! Muitíssimo obrigado!

Engraçado fazer uma postagem com praticamente só frutas secas. Até pouco tempo atrás eu não gostava, mas fui conhecendo frutas secas de boa qualidade (fiquem longe dos supermercados comuns!), além de ter ouvido mil e uma histórias da nossa professora francesa Cristine Dabat, que falava sobre a importância de secar uma fruta, tanto para a gastronomia, como para a sobrevivência em longos invernos. Hoje o mais comum são as uvas passas no panetone, ameixas no olho de sogra, banana nos doces industrializados (pseudo-saudáveis-light) e o damasco quase decorativo na mesa das festas. Provem o figo, o morango, a pêra, o pêssego… Explorem esse novo mundo de sabor! Uma vez vi o Olivier Anquier (meu ídolo, herói, inspiração e futuro sogro) em viagem pela França, onde comeu um salada com pêras passas, alface, roquefort e redução de balsâmico, apenas 4 ingredientes que se harmonizam perfeitamente! Espero muito um dia poder postar esse prato aqui.

Aproveitando para ressaltar que essas são as últimas fotos da velha máquina, segunda feira chegará a Canon profissional e coisa vai melhorar pacas!

As tais Marias Bonitas (Acertei no plural?)

Maria Bonita por dentro

Morangos glaceados (dois detalhes, 1- não confunda com morangos glaçados, 2- não fiz, apenas comprei e estou pensando em fabrica-los, é uma espécie de “passa” de morango, absurdamente delicioso!)

O velho conhecido Olho-de-Sogra e alguns testes de Marias Bonitas com outros recheios (noz pecan e morango)

Figos turcos (pra mim, o Rei das frutas secas!) recheado com brigadeiro branco e crocante. (tentativa de melhorar o que já é perfeito!)

Olho-de-Sogra em rama. Tipo de coisa que é terapeutico fazer e dá pena de comer, imagina tirar as sementes e rechear as passas uma a uma?

Toda a galera reunida!

Gostaram das fotos? Deu vontade? Quem sabe não começo a vender pela internet? =)

Tenham uma excelente semana!

Bolo Branco Perfumado.

Olá meu povo.

Hoje não tive palestra no SEBRAE, assim passei a tarde em casa, vi Simpsons, depilei as costas, tomei café e claro, fiz um bolo!

Mas qual bolo fazer? Não queria comer algo comum demais, por isso acabei inventando um bolo branco perfumado. A idéia é simples, faço um bolo branco comum e coloco algumas especiarias para dar um toque diferente, rá! É o tipo de idéia idiota o bastante para dar certo. E deu! O bolo ficou fofinho e super saboroso, o cheiro dele é divino e apesar da aparência super comum, as pessoas vão perguntar “que bolo é esse?”. É fácil demais, vale à pena fazer em casa!

Ingredientes:

03 xícaras de farinha de trigo (peneirada)

02 xícaras de açúcar

01 xícara de leite

04 ovos (separar gemas e claras em neve)

02 colheres de manteiga (colheres generosas)

01 colher de fermento (generosa também)

01 colher de essência de baunilha

01 colher de rum

01 pitada de noz moscada

01 pitada de cravo em pó

Modo de Preparo:

Bata o açúcar, leite, gemas, manteiga e todas as especiarias (baunilha, rum, noz moscada e cravo) até formar uma pasta amarela, adicione a farinha, bata até virar a massa, coloque o fermento e a clara e mexa com cuidado, de cima para baixo. Coloque em fôrma untada, no forno pré aquecido (220°C) e deixe assar por 20-30 minutos.

Dicas:

– Cuidado com as especiarias, se colocar um pouco a mais elas podem estragar o bolo, principalmente noz moscada e rum, que são fortes.

– Minha manteiga tinha sal, caso a sua não tenha, coloque uma pitada.

Fusilli à Bolognesa

Hoje faz exatamente 32 dias que não atualizo meu blog. Culpa minha? Sim! Ando bem ocupado com o emprego, inglês e pós, em meu pouco tempo livre estou me dedicando puramente ao lazer, saindo para tomar cafés, indo ao cinema, livraria e passeando com os amigos. Cozinhar nesse tempo livre? Raramente. Fiz apenas coisas que já tinham no blog, como bolo de cenoura, pudim e cuscuz.

Tive folga quinta feira, antes de ontem, resolvi fazer o almoço em casa. Fiz uma macarronada simples e básica, mas claro, usando todas as dicas que aprendi e desenvolvi com a prática. Há alguns meses atrás, fazia macarronada todo sábado ou domingo, é um prato muito comum na mesa da família brasileira e aqui em casa não é muito diferente.

Uma pena que a maioria das pessoas nunca aprendeu a fazer ou sequer comeu uma boa macarronada. Pode parecer arrogância o último trecho dessa frase, mas quantas pessoas usam massa di grano duro ou fazem molho a partir de tomates italianos pelados? Além disso, quantas pessoas deixam o molho apurando por 2 horas ou cozinham o macarrão em água salgada abundante? Se alguém me diz “faço macarronada porque é rápido”, já sei que essa pessoa infelizmente nunca comeu uma boa macarronada. Comentários polêmicos, né?

Mas deixo claro que não sou um purista italianófilo, daqueles bem chatos que só gostam da comida da “Nona” italiana, por isso faço sempre questão de ser muito “brasileiro” em minha macarronada, que sempre tem acompanhamento de uma salada fria e alguma carne. Nesse caso foi rúcula no limão e lingüiça toscana (Não estão presentes na foto), mas poderia ter sido uma maionese de batatas e frango assado ou brotos de alfafa e costelas de porco.

Podem chamar esse “fusilli à bolognesa” de “macarronada parafuso”,  fica muito melhor!

Receita:

Ingredientes molho:

– 100ml de azeite.

– 01 cebola grande.

– 01 cabeça de alho.

– 03 latas de tomate italianos pelados.

– 400g de carne moída.

– ½ maço pequenino de salsa.

– Pimenta do reino, sal e uma pequena dose de orégano e noz moscada.

– Manjericão fresco a gosto.

Ingredientes massa:

– Água abundante (6-8 litros para 500g)

– 500g de macarrão di grano duro.

– Duas colheres de sopa de sal.

Modo de Preparo:

Aqueça o azeite, doure o alho e depois a cebola, adicione a carne, a pimenta, noz moscada e orégano, deixe refogar até ela cozer. Adicione as latas de tomate e a salsa, quando levantar fervura, tampe e diminua o fogo, mexendo periodicamente por duas horas (só quando estiver quase pronto, acerte o sal). Enquanto o molho fica apurando, acenda o fogo da água com sal e coloque o macarrão apenas quando começar a fervura, mexendo às vezes para não grudar. Finalize com manjericão no prato.

Dicas:

– O azeite não precisa ser extra-virgem, ele será esquentado e por isso não faz muita diferença.

– O tomate italiano pelado é muito melhor que as latas comuns de molho de tomate, mas custam quase o dobro do preço. Paga-se pela qualidade.

– Cuidado ao usar os temperos, a pimenta do reino “cresce” durante o cozimento, a noz moscada deve ser usada bem sutilmente (uma micropitada) e o orégano também muito pouco, para não dar gosto de pizza. O manjericão é colocado no próprio prato ou no molho quando o fogo já foi desligado. Sal apenas no final, 5 minutos antes de ficar pronto.

– É muito importante deixar o molho apurando por duas horas, para o sabor melhorar através de processos físicos e químicos, a textura do molho ficar uniforme (não junta aquela água no fundo do prato) e a cor ficará vermelho vivo.

– Use macarrão di grano duro, ele é feito com uma farinha melhor, ideal para massas. Existem marcas nacionais e importadas, custam entre 2 e 4 vezes mais que os tradicionais, mas o sabor e textura são infinitamente superiores. Água abundante para não grudar, pois não recomendo o uso de um fio de óleo na água, porque essa técnica evita o grude, mas deixa a massa escorregadia. O sal serve apenas para realçar o sabor da massa, é bastante sal porque trabalhamos com muita água.

– Pode usar qualquer carne nesse molho, algumas pessoas usam carne em tiras e outros usam frango ou atum, mas o macarrão à bolognesa original deve ser de carne moída bovina, suína ou as duas.

– Se for finalizar com queijo ralado, bato na mesma tecla sempre, não use aquele pó fedido de saquinho, compre um pedaço de queijo parmesão e rale na hora!