Costelinha de Porco

Quem não curte uma costela suína assadinha?
É um prato muito fácil de fazer, é relativamente rápido e “limpo” também. Não tenho muito o que falar sobre isso, só sei que cada pessoa faz seu próprio tempero e deixo aqui embaixo o registro do meu.

Imagem

Ingredientes:
600g-01kg de costelinha
01 Limão
03 colheres Shoyu
Sal e Pimenta do Reino (QB)
01 colher Açúcar
15-25 Mini Cebolas.
Cebolinha.
01 colher Azeite.

Modo de preparo.
Ferva meio litro d’água, desligue e deixe as cebolas (descascadas) “boiando” na água quente por 5 minutos, escorra a água, corte-as no meio “de comprido” e deixe de molho em uma mistura de shoyu (metade), azeite e açúcar. Reserve.
Tempere a carne com sal, pimenta do reino, limão e o restante do shoyu, coloque em uma fôrma pequena, cubra com papel alumínio e leve ao forno médio pré aquecido por cerca de 30min. Depois descubra o papel, coloque as cebolas, regue a carne com o molho destas e deixe “dourar” por cerca de 10 a 20 minutos, a depender do forno e do ponto desejado.
Quando estiver sequinho e mais escuro por cima, com as cebolas secando, regue com o próprio molho que se acumula no fundo (agora engrossado) e finalize com a cebolinha.

Dicas:
– Quando colocar no forno, já deixe a costela fatiada em 1 ou 2 ossos, ela inteira é meio tenso de cortar dentro da fôrma quente.
– Pode variar essa receita, colocando gengibre, alho e outras delícias, o sal e a pimenta do reino é por seu gosto, padrão, medida e responsabilidade.

Published in: Sem categoria on 01/10/2012 at 14:23  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Pão Caseiro

Conforme prometido, estou postando mais aqui no blog. Esses dias assisti ao programa “Diário de Olivier” no canal GNT, Olivier Anquier é um cozinheiro francês, que mora no Brasil há anos e é ex marido da Débora Bloch. Ele fazia brioches em sua linda cozinha pseudo-rústica e me inspirei a fazer pães também… Primeiramente pensei em fazer brioches, mas como era muito complexo (na TV tudo é mais fácil), achei melhor tentar pães doces, mas enquanto pesquisava uma boa receita, deu vontade de comer um pão caseiro quente com manteiga, queijo, presunto e claro, café! Hahahahaha.

Lá vai o gordo Tadeo fazendo seu primeiro pão caseiro, como não conseguia padronizar o tamanho e formato, resolvi fazer cada um de um tamanho e estilo, malandro safado charlatão enrolão embusteiro esperto, né?

Por incrível que pareça, os pães ficaram saborosos e macios, minha casa passou a tarde toda com cheiro de padaria. Nada mal para um virgem a primeira vez!

Ingredientes:

01 kg de farinha

01 xíc óleo

01 xíc leite

01 xíc açúcar

04 ovos

10g fermento biológico em pó (ou 45-60g de fermento fresco)

01 colher de sopa de sal.

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes (menos a farinha), deixando o fermento por último. Coloque toda a farinha sobre o balcão e faça um “vulcão”, despejando o conteúdo no meio (cuidado, isso é para quem tem experiência, peça ajuda ao papai e à mamãe, vide dicas*). Aí é muque de padeiro, vá amassando, amassando, amassando, deixa o suor dar um tempero especial, quando ela começar a grudar na pedra da mesa, coloque mais farinha e continue amassando. A massa ficará lisa e homogênea, você dará um tapa e parecerá a bunda do seu melhor amigo barriga do seu avô. Deixe descansar por 30-45min em uma tigela grande, com um pano de prato por cima. Depois que ela descansou e cresceu, retire-a da tigela e divida em 05 ou 10 pedaços, dependendo do tamanho do pão, faça pranchas ou esteiras e enrole, deixando no formato de pãezinhos, croissants ou o que sua imaginação suja fértil mandar. Depois só untar uma fôrma com manteiga e farinha e deixe assar em forno médio (220°C) pré aquecido, até dourar.

Dicas:

– Veja o modo de preparo no youtube, recomendo também o site do próprio Olivier Anquier www.olivieranquier.com.br

– O fermento biológico em pó deve ser estimulado antes de entrar na receita, pegue um dedo de leite morno e dissolva um envelope nele, mexa por alguns minutos, até virar um caldo marrom de cheiro fermentado.

– Na hora do vulcão, fiz um método para principiantes como nós. Coloquei ¼ da farinha no liquido, enquanto batia. Assim o caldo ficou mais grosso e fácil de trabalhar quando colocado sobre a farinha.

– Quando for moldar os pães, use a criatividade. Pode rechear com queijos, embutidos, doces e até usar manteiga para folhear. Também pode cobri-los com alguma coisa, no meu caso, pincelei com um ovo por cima, mas podem além de usar ovo, colocar orégano, queijo ralado ou gergelim.

Bacalhau à Gomes de Sá.

Sou apaixonado por bacalhau. É gostoso, é saudável, é tradicional e é facílimo de preparar, pena que é caro! Hehehe. Essa receita não tem muito erro, se o cidadão for cuidadoso com o sal e não deixar nada queimar ou ficar cru, só pode dar certo!

Sobre o blog, acho que ando postando muito pouco por aqui, mas prometo melhorar nessa semana e trazer muitas novidades!

bacalhau

bacalhau2

Ingredientes:

01 kg de bacalhau.

04 batatas médias.

03 cebolas médias.

½ ramo de salsa.

03 ovos.

03 pimentas dedo de moça.

300ml de azeite de oliva.

10 azeitonas pretas grandes.

Pimenta do reino e sal (se necessário)

Modo de preparo:

Dessalgue o bacalhau. (vide dicas)

Cozinhe as batatas, descasque e coloque em fatias no fundo de uma fôrma untada com um pouco de azeite. Forre com  bacalhau, a pimenta, a cebola, os ovos cozidos, azeitonas e salsa. Adicione a pimenta do reino e regue com azeite por cima. Tampe com papel metálico, deixe por 40 minutos em forno médio pré-aquecido (220°-240°C), retire o papel e deixe por aproximadamente meia hora, até a pontinha das cebolas tostarem.

Dicas:

-Dessalgar o Bacalhau: Coloque o bacalhau em uma panela e encha d´água. Deixe na geladeira e troque de água a cada 4 horas. Serão necessárias 4 a 7 trocas de água para retirar o sal. Deve ficar na geladeira porque nosso clima tropical esquenta a água e ele apodrece em 10 horas, é um cheiro horrível. Um bacalhau com peças grandes precisará de mais tempo na água e em pedaço menores o sal sai rapidamente, caso não tenha dessalgado por completo, dê uma escaldada (água quente), mas não o deixe passar do ponto porque fica desmanchando demais.

– Bacalhau em pedaços menores são mais baratos (geralmente), evite bacalhau com pele e espinhos, se perde muito para limpá-los.

– Caso você retire todo o sal do bacalhau, pode SIM colocar sal depois. Use esse sal sobre o bacalhau e a cebola, antes de regá-los com azeite.

– Cuidado ao usar a pimenta dedo de moça, uso sem semente e em fatias finas, dá uma ótima aparência e um leve sabor de pimentão (que não é usado na receita original), caso use a dedo de moça com semente, não é necessário o uso da pimenta do reino.

– O melhor acompanhamento é arroz branco e se quiser, uma saladinha neutra de beterraba e cenoura.

Pão de Queijo Caipira.

Primeiramente, gostaria de me desculpar pela demora em postar algo. Essa receita eu fiz pela primeira vez na segunda feira, dia 07/09, mas ela deu errado (ficou feia, grudou no fundo e encruada, argh!). Isso me desanimou um pouco, só fui refazê-la na sexta, dia 11/09.

Por que esse pão de queijo é caipira? Não sei, mas ele é diferente dos outros, invenção minha, dei um nome comercial. Escolhi “caipira” porque ele é mais rústico, diferente dos pãezinhos de queijo bonitinhos que tem por aí. Para falar a verdade verdadeira não temos tantas fôrminhas, para facilitar o serviço, fiz tudo em uma fôrma só, virou um “pãozão de queijo”!

O bicho cresceu muito, tocou no teto do forno e murchou uns 3 minutos depois que o tirei, nem deu para fotografá-lo em seu ápice! Também dei uma incrementada, colocando cubinhos de salame, mas pode colocar outras coisas como charque, bacon, lingüiça calabresa, peito de peru, tomate seco, provolone ou até mesmo goiabada. O importante é que seja diferente do sabor do pão de queijo (defumado ou doce, para dar um contraste) e que não solte água, porque um dos motivos da primeira receita dar errado foi o uso de tomate e cebola, que soltaram água e deixaram-no um pouco molhado/encruado no meio, só use se for fazer ele mais fino e em forno bem baixo, para secar bastante (mas ficará mais durinho).

A receita é MUITO fácil, 1 hora no máximo, qualquer pessoa faz e nem coloca a mão na massa!

pão de queijo

Pão de queijo II

Ingredientes:

01 1/2 Xícaras de Polvilho Azedo
01 1/2 Xícaras de Polvilho Doce
03 Ovos Inteiros
01 Xícara de Queijo Parmesão Ralado
01 Xícara de Leite
01 Xícara de Óleo

01 Pitada de Sal

Modo de Preparo:

Bata tudo no liquidificador, unte uma fôrma grande (ou várias menores) com manteiga e polvilho doce, adicione a mistura, coloque em forno pré-aquecido médio-baixo (180°-220°C), demora aproximadamente 40 minutos.

Dicas:

– PELO AMOR DE DEUS, NÃO USE QUEIJO RALADO EM PÓ! Desembolse um pouco de dinheiro e compre parmesão para ralar na hora, se for usar aquele extrato de pó de vômito queijo ralado de saquinho, melhor seguir outra receita, não a minha!

– Unte a fôrma usando pouca manteiga, é uma receita gordurosa, com muito óleo. Mas pão de queijo é isso aí, óleo puro! Se quiser coisa light, coma torradas integrais.

Bolo de Coco

Esses dias me deu vontade de comer bolo de coco, não sei exatamente o porquê de surgir essa vontade, mas ela surgiu e eu tive que sacia-la, porra! ora bolas! Pela primeira vez eu fiz um bolo e recheei por dentro, nunca tive colhões equipamentos necessários para tal operação, mas com criatividade, coragem, um fio dental, 03 espátulas e ajuda da minha mãe, eu consegui fazer esse difícil serviço de McGyver confeiteiro! É o tipo de coisa tão boa, que pode ser comida quente, fria, gelada e de qualquer maneira que quiser, amanhã levarei ao escritório, espero que aprovem!

Imagem10

bolo de coco 02

Ingredientes (bolo):

03 xícaras de farinha trigo.

02 xícaras de açúcar.

½ xícara de leite.

½ xícara de leite de coco (grosso).

03 ovos (separar gema e clara em neve).

02 colheres de sopa (generosas) de manteiga.

01 colher de sopa (generosa) de fermento.

01 colher de chá de essência de baunilha.

Ingredientes (recheio):

01 lata de leite condensado.

01 caixinha de creme de leite.

01 pacotinho de coco queimado ralado (desaconselho usar a versão seca).

Ingredientes (caldo para umedecer):

½ xícara de leite de coco.

½ xícara de leite convencional.

Modo de preparo:

Bata bem todos os ingredientes do bolo (menos o fermento e as claras em neve). Adicione o fermento e as claras em neve por último, mexendo com cuidado. Leve ao forno com 180-200 °C pré-aquecido por 40-60 minutos (até dourar) Tanto o recheio como o caldo só precisam ter seus ingredientes misturados. Usando sua técnica improvisada, corte o bolo ao meio, despeje com cuidado metade do caldo e depois coloque metade (ou 1/3) do recheio. Cubra com a outra parte, faça centenas de furos com o garfo e repita a operação, despejando o caldo e cobrindo com o recheio (que agora virou cobertura, né?).

Dicas:

– Se for comer quente ou em temperatura ambiente, a receita está perfeita. Mas se for comê-lo gelado, dobre a quantidade de leite e leite de coco para umidecer, porque a massa tende a ficar seca dentro da geladeira.