Bolo Baton

Bolo Baton? Sim!!! BOLO BATON! Sabem aquele chocolate vagabundo, antigo e clássico da Garoto? Ele mermo!!!

Em vez de fazer um bolinho de chocolate sem graça, resolvi descer até a padaria, comprar 05 reais de chocolate e colocar pedacinhos no bolo. Ficou uma belezura, a maciez e suavidade da massa com pedaços pesados e doces de chocolate, DILIÇA!

Mais uma vez não tive palestra à tarde, não achei ninguém para tomar um café comigo, então fiz esse bolinho e um chá mate para acompanhar.

Ingredientes:

03 xícaras de farinha de trigo (peneirada)

02 xícaras de açúcar

01 xícara de chocolate em pó

01 xícara de leite

04 ovos (separar gemas e claras em neve)

02 colheres de manteiga (colheres generosas)

01 colher de fermento (generosa também)

10 chocolates Baton picados

Modo de Preparo:

Bata o açúcar, leite, gemas, manteiga até formar uma pasta amarela, adicione a farinha e o chocolate em pó (ambos peneirados), bata até virar a massa, coloque o fermento, o chocolate picado e a clara e mexa com cuidado, de cima para baixo. Coloque em fôrma untada, no forno pré aquecido (220°C) e deixe assar por 20-30 minutos.

Dicas:

– É um bolo pouco doce, pode até dobrar a quantidade de açúcar sem medo, dependendo de sua infantilidade seu paladar.

– Minha manteiga tinha sal, caso a sua não tenha, coloque uma pitada.

– Chocolate em pó não é Nescau!

– Coloque em fôrminhas e podem virar deliciosos muffins!

Bolo Branco Perfumado.

Olá meu povo.

Hoje não tive palestra no SEBRAE, assim passei a tarde em casa, vi Simpsons, depilei as costas, tomei café e claro, fiz um bolo!

Mas qual bolo fazer? Não queria comer algo comum demais, por isso acabei inventando um bolo branco perfumado. A idéia é simples, faço um bolo branco comum e coloco algumas especiarias para dar um toque diferente, rá! É o tipo de idéia idiota o bastante para dar certo. E deu! O bolo ficou fofinho e super saboroso, o cheiro dele é divino e apesar da aparência super comum, as pessoas vão perguntar “que bolo é esse?”. É fácil demais, vale à pena fazer em casa!

Ingredientes:

03 xícaras de farinha de trigo (peneirada)

02 xícaras de açúcar

01 xícara de leite

04 ovos (separar gemas e claras em neve)

02 colheres de manteiga (colheres generosas)

01 colher de fermento (generosa também)

01 colher de essência de baunilha

01 colher de rum

01 pitada de noz moscada

01 pitada de cravo em pó

Modo de Preparo:

Bata o açúcar, leite, gemas, manteiga e todas as especiarias (baunilha, rum, noz moscada e cravo) até formar uma pasta amarela, adicione a farinha, bata até virar a massa, coloque o fermento e a clara e mexa com cuidado, de cima para baixo. Coloque em fôrma untada, no forno pré aquecido (220°C) e deixe assar por 20-30 minutos.

Dicas:

– Cuidado com as especiarias, se colocar um pouco a mais elas podem estragar o bolo, principalmente noz moscada e rum, que são fortes.

– Minha manteiga tinha sal, caso a sua não tenha, coloque uma pitada.

Pão Caseiro

Conforme prometido, estou postando mais aqui no blog. Esses dias assisti ao programa “Diário de Olivier” no canal GNT, Olivier Anquier é um cozinheiro francês, que mora no Brasil há anos e é ex marido da Débora Bloch. Ele fazia brioches em sua linda cozinha pseudo-rústica e me inspirei a fazer pães também… Primeiramente pensei em fazer brioches, mas como era muito complexo (na TV tudo é mais fácil), achei melhor tentar pães doces, mas enquanto pesquisava uma boa receita, deu vontade de comer um pão caseiro quente com manteiga, queijo, presunto e claro, café! Hahahahaha.

Lá vai o gordo Tadeo fazendo seu primeiro pão caseiro, como não conseguia padronizar o tamanho e formato, resolvi fazer cada um de um tamanho e estilo, malandro safado charlatão enrolão embusteiro esperto, né?

Por incrível que pareça, os pães ficaram saborosos e macios, minha casa passou a tarde toda com cheiro de padaria. Nada mal para um virgem a primeira vez!

Ingredientes:

01 kg de farinha

01 xíc óleo

01 xíc leite

01 xíc açúcar

04 ovos

10g fermento biológico em pó (ou 45-60g de fermento fresco)

01 colher de sopa de sal.

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes (menos a farinha), deixando o fermento por último. Coloque toda a farinha sobre o balcão e faça um “vulcão”, despejando o conteúdo no meio (cuidado, isso é para quem tem experiência, peça ajuda ao papai e à mamãe, vide dicas*). Aí é muque de padeiro, vá amassando, amassando, amassando, deixa o suor dar um tempero especial, quando ela começar a grudar na pedra da mesa, coloque mais farinha e continue amassando. A massa ficará lisa e homogênea, você dará um tapa e parecerá a bunda do seu melhor amigo barriga do seu avô. Deixe descansar por 30-45min em uma tigela grande, com um pano de prato por cima. Depois que ela descansou e cresceu, retire-a da tigela e divida em 05 ou 10 pedaços, dependendo do tamanho do pão, faça pranchas ou esteiras e enrole, deixando no formato de pãezinhos, croissants ou o que sua imaginação suja fértil mandar. Depois só untar uma fôrma com manteiga e farinha e deixe assar em forno médio (220°C) pré aquecido, até dourar.

Dicas:

– Veja o modo de preparo no youtube, recomendo também o site do próprio Olivier Anquier www.olivieranquier.com.br

– O fermento biológico em pó deve ser estimulado antes de entrar na receita, pegue um dedo de leite morno e dissolva um envelope nele, mexa por alguns minutos, até virar um caldo marrom de cheiro fermentado.

– Na hora do vulcão, fiz um método para principiantes como nós. Coloquei ¼ da farinha no liquido, enquanto batia. Assim o caldo ficou mais grosso e fácil de trabalhar quando colocado sobre a farinha.

– Quando for moldar os pães, use a criatividade. Pode rechear com queijos, embutidos, doces e até usar manteiga para folhear. Também pode cobri-los com alguma coisa, no meu caso, pincelei com um ovo por cima, mas podem além de usar ovo, colocar orégano, queijo ralado ou gergelim.

Pasteizinhos Pernambucanos

Cá estou eu novamente, depois de muito tempo sem aparecer por essas bandas. Prometo atualizar mais freqüentemente, apesar de soar como promessa de político, farei o possível mesmo.

Desabafando um pouco Falando da minha vida, me demiti da Bob´s 03 dias depois dessa macarronada(meu último post), foram vários motivos que não cabe explicar aqui. Descansei muito por esses dias, tive um pequeno problema envolvendo amigos, fiz uma pequena viagem ao interior, comemorei o ano novo na praia e já me matriculei em centenas de cursos e palestras no SEBRAE. Provavelmente estarei nesse ritmo de estudante desempregado até o final das reservas financeiras de janeiro.

Fiz uma receita tosca interessante, os chamados pasteizinhos pernambucanos, confesso que eu pessoalmente os batizei assim, pois só existem por essas bandas de Pernambuco (Dã, que obvio!). São pastéis salgados, recheados de carne moída e azeitonas fortemente temperados, mas cobertos por uma camada de açúcar de confeiteiro. Parece estranho para quem não conhece, mas eu prometo, juro e garanto, são deliciosos!!! Infelizmente, por excesso de preguiça falta de tempo e prática, usei uma massa de pastel pronta, fiz os bixinhos em tamanho grande demais para o padrão e não tínhamos cominho e extrato de tomate para temperar ou dar liga à carne. Ficaram gostosinhos, mas poderiam ter ficado melhores, principalmente se a massa fosse mais adequada, ela secou muito nas pontas e esse pastel deve ser mais “fofo”, de massa mais grossa e menos quebradiça.

Ingredientes:

01 cebola média em cubos.

500g de carne moída.

01 pimenta malagueta sem semente e bem picada.

01 colher generosa de extrato de tomate (não usei)

01 colher (chá) de colorau

Sal, pimenta do reino e cominho.

Azeitonas

500g de massa para pastel.

Fio de azeite para refogar.

Óleo para fritar.

Modo de Preparo:

Refogue a cebola no azeite, adicione a carne e os temperos (menos sal e colorau), quando estiver bem fritinha e seca, adicione o extrato de tomate, colorau e o sal, baixe o fogo e deixe dar uma apurada leve. Espere esfriar e recheie os pasteis com a carne e as azeitonas. Frite em óleo quente e depois de uma leve enxugada em papel toalha, polvilhe açúcar de confeiteiro por cima. Rende de 8-12 pasteis médios/pequenos.

Dicas:

– Faça pasteis pequenos, de festa infantil, pois eu fiz de tamanho médio e comer com aquele açúcar foi um malabarismo insano!

– Pode fazer açúcar de confeiteiro em casa, batendo por alguns segundos o açúcar convencional no liquidificador ou processador, depois peneire.

– Faça uma boa massa de pastel (tentarei aprender alguma) ou compre uma de boa qualidade, é importante que ele tenha uma massa grossinha e pouco quebradiça.

– Não faça como eu fiz, pique a azeitona e não use inteira.